Páginas

março 05, 2010

Meu mundo caíu!


Essa é a sensação que a gente tem quando os pequenos ficam dodóis, né? E infelizmente, ficam com muito mais freqüência do que eles merecem ou deveriam. Vira e mexe tem uma perebinha aqui, uma virose alí (tempos modernos), é febre, sarampo, catapora, ouvidos, garganta, pé quebrado, braço luxado, dedo cortado, testa e queixo que insistem em cair primeiro, ufa, não pára e depois que vai pra escola então, ninguém segura mais.


A verdade é que por mais cuidadosas, e todas somos, eles são sempre abatidos por um “vilão” e quando isso acontece me fala, quem fica pior? Quem fica abatidíssima, sem dormir, comer, etc....acabada mesmo?


O que fazer (ta no manual): Corre pro pediatra, claro!!! Pronto-socorro só para emergência (ninguém merece). Depois, respira fundo, se enche de coragem e começa:


- Reza porque sempre ajuda e qualquer ajuda é bem vinda nessas horas.

- Ajude seu filho a entender o que está acontecendo com ele e como vamos encarar essa “batalha” juntos.


- Não, não e não deixa ele perceber que você está aos pedaços, arrasada e com medo. Lembre-se a segurança e auto-confiança dele, dependem das suas! (Aproveita e reza mais um pouco)


- Tire forças, não sei de onde, e não desista (aproveita e faz uma promessa agora). Mostre à ele que você confia muito no “tio” (pediatra “quase Deus”), que acredita no tratamento e no que está fazendo e por pior que seja, vai acabar, vai passar e tudo vai ficar bem.

- Mostre-se solidária. Você sabe o que ele está passando, e pra ele, provavelmente é novidade. (Volte a rezar!)


Principalmente, faça tudo com muito carinho e amor, dê muito colinho, muitos miminhos e boa sorte! A melhor lição disso tudo é que ele terá certeza que pode confiar em você, que não está sozinho e que você é THE BEST! (não esquece de agradecer todos os santos pra quem você apelou!)


No mais, boa sorte pra nós, coragem à todas e lembremos que por pior que seja ou esteja, vai passar, tudo sempre passa... Só amor de mãe é que fica pra sempre, grudado no peito que nem tatuagem, entranhado no corpo que nem nossas rugas e necessário que nem o ar que respiramos.




Beijos


Cristina João

Fotos: choro, maos, caixa, coracao

9 comentários:

Roberta M. disse...

Cris, caramba, lidar com doença do pequeno é ultra difícil, porque dói na gente né?? Eu tenho que dizer que sou Mãe sortuda, pois meu Pandinha, depois dos 03 anos que ele retirou as amígdalas, nunca mais ficou doente, não sei o que é ir para uma emergência, e nem pediatra ele tem(vergonha!! Ele só vai no neuropediatra), mas é uma agonia, ótimas dicas!!! Beijocas

Poesia do Bem disse...

verdade memso! dói demais ver os filhos doentes.Eu entrego aminha sempre a Deus, oro, peço saúde e guarda divina.Se começa tossir fico aos cacos, se tem febre quase morro.Só Deus de cura pra nos guardar, bjs e força e cura aos seus.Visite-me e vem ver minha vitória de vida na Revista Sempre Materna

Dedinhos Lambuzados ! disse...

Oi, Meminas ! Não pude comentar o post anterior pois estou na correria, mas vou dar um piteco aqui... A Música - e demais Artes- na minha opinião devem fazer parte dos hábitos familiares, da Cultura familiar como acontece em países desenvolvidos. No meu tempo o estudo de Música nas escolas era obrigatório e...NADA aconteceu !!!Aliás aconteceu que DEIXOU de ser...Não sei se trazendo a Música para a EScola como matéria obrigatória não corremos o risco de esta também se transformar num pesadelo como a Matemática devido à péssima formação dos professores...Sabiam que a corrida pela formação em Música agora é tal que , claro, o nível dos cursos oferecidos e as exigência para "passar no vestibular" está cada vez pior, só porque "vai ter muito emprego de prof de Música" ??? Tentam resolver um problema "remendando pano rôto" - quando remenda aqui...arrebenta ali !
Quando ao post de hoje,mãe é assim...como o vinho: melhora com o tempo!!!Mas com certeza ainda hoje com meu bebê de quase 20 aninhos: qualquer coisa...já estou preocupaÍSSIMA !!!!Bjs, Mammy

Si♥ disse...

É... eu sei bem o que é ter filho bebê doente... meu primeiro filho qdo pequeno estava sempre com uma coisa e outra teve todas as "ites" e um pouco mais...
Beijusssssss
Si♥

c r i s disse...

Oi cumadis! Puxa, isso realmente é dolorido demais, posso dizer de carteirinha como isso dói! Mas graçasadeus, depois de tanta reza e aconchego, passa...td de bom ste texto! Bjinho meninas e bom findi!!

Mãe Mochileira,filho malinha.. disse...

OIe!!! nem fale...ficamos com o coração partido..e aquela velha máxima de que "preferia que fosse em mim" é a mais pura verdade!!!
ah,amei a foto do bb na embalagem de "frágil"..haha..se pudesse só levava o meu assim..rsrs..bjs!

Andrea Guim disse...

Oi, Cris!
Não sou mamãe (ainda) mas sou tia de um rapagão de 21 anos e convivi com toda a criação dele, des da barriga de minha irmã. Sei quer ser mãe né mole não, mas deve ser muuitobão, né?!
Obrigada pelas suas adoráveis visitas ao Blog'Arte!!!!
Beijins!

Leila Silvia Almeida disse...

OLÁ MENINAS!REALMENTE O MUNDO CAÍ,QUANDO NOSSOS FILHOTE FICA DODÓI,AQUI TODOS TIVERAM CATAPORA JUNTOS,FOI UM SOFRIMENTO...GRAÇAS A DEUS É RARO ELES FICAREM DOENTE,MAS MESMO COM TODOS OS CUIDADOS DO MUNDO NÃO TEM JEITO ELES ACABAM ADOECENDO UMA HORA OU OUTRA.BEIJOCAS TENHA UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA

Carmelita disse...

Cris, amei o site. Bom fim de semana, muitos beijos e sempre vou dar uma passada aqui para ver as novidades. Ca
http://zicaarteiras.blogspot.com/

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tem mais disso

Related Posts with Thumbnails