Páginas

dezembro 31, 2009

Anjinhos da gota verde


Não existem regras! O Reveillon de cada um é da cor que quiser.
No Brasil o costume prega o branco e na Ilha da Madeira em Portugal o preto...
E assim, vamos comemorando mundo a fora, o "dia de ano", o reveillon, o "primeiro de ano", etc, etc, etc.

Mas uma coisa poderia ser regra: criança deveria usar roupas leves, de algodão, larguinhas e verdes!
Por que verde???
Aaaah! Pelo o que ele significa e principalmente pela energia do reveillon: ESPERANÇA.
Deveríamos colocar em nossos pequerruchos, o verde esperançoso de um mundo de paz, de pessoas felizes, de famílias unidas, de gente que se gosta sem saber porque, de céu de brigadeiro e nuvem de suspiro.
Deve fazer bem até aos adultos de branco... Você olhar pro lado e ver um moooonte de pontinhos verdes, bem ao lado do Ano novo... Juntos trazendo aquela energia que contagia, que arrepia de um mundo bem melhor!

Além dessa gota de verde, vale lembrar aos pais estreantes no Reveillon, que durante os dias que antecedem o Ano Novo, atchurma do barulho sai por aí testando os fogos e assustando a criançada.
Brinquem!
É só usar nossa imaginação e inventar histórias e brincadeiras. Ensinem a fazer barulhos semelhantes com a boca! Estourem bexigas!
E na hora H, sem alarde e se conseguirem protejam os ouvidinhos com algodão...
Tudo isso junto vai fazer a molecada prestar atenção ao show!

Se chover, aproveite! Curta aquele momento por uns instantes. Mostre que chuva também faz bem, também lava a alma e pode ser divertido! Agora se for um temporal... CORRA com eles pra baixo de um lugar sequinho... rs

Aaaah! E pra acalmar a euforia e ansiedade dos minutos antes da virada, contagem regressiva (ótima oportunidade pra ensinar a contagem até 10, mesmo que você tenha que repetir váááárias vezes - rs), musiquinha de Adeus Ano Velho, apostas de que cor serão os fogos ali na frente, ou quem vai ver o primeiro a ser estourado!

Assim, eu, a Andrew's e a Cris desejamos um Reveillon verde, pesado de energia boa pra fazer um 2010 um ano leve e feliz!

FELIZ ANO NOVO à todos que seguem ou apenas bisbilhotam o Recomadres. E que no ano que vem possamos nos encontrar mais vezes com histórias deliciosas sobres os pimpolhos.


Um beijo e até o Ano que vem..

Texto de Janaína
Fotos: Anjo Verde e Fogos

dezembro 30, 2009

Cris e Bons exemplos sempre!



A Andrews já falou, e exagerou, do meu jeito de criar meus pequenos. Numa coisa eu concordo e não abro mão: tenho muita paciência e converso muito (até demais), mas às vezes, também me desespero, me descabelo, enlouqueço, chuto o balde e a psicologia, deixo de ser politicamente correta e recorro às ordens! Infelizmente, algumas vezes nada parece surtir melhor efeito que um bom e velho castigo, que pena, sou eu quem mais sofro quando isso acontece, de verdade!! Afinal sou mãezona, né?


Percebi e tenho constatado que nada supera os bons exemplos. Não adianta vir com aquele papinho “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço!”, isso não cola mais, só deu certo até a nossa geração. Eles desde muito pequenos observam tudo, tudo mesmo, nos vigiam o tempo todo (tipo big brother), escutam e prestam atenção em tudo! Nada escapa a esses curiosinhos de plantão, e o que é pior, nos imitarão pra sempre em tudo, sempre que possível! Então, não adianta xingar todo mundo no trânsito e pedir para seu filhotinho ser tolerante com o coleguinha que acabou de arrancar de sua mão, seu boneco preferido. Não faz o menor sentido, tratar os empregados, subalternos, mendigos, etc. como se fossem seres inferiores ou como se não existissem e depois tentar convencê-los de que somos todos amiguinhos, temos que nos respeitar, que o mundo pode ser melhor e etc. Não adianta, jogar lixo pela janela do carro (é só um lixinho) e ensiná-los que o lugar de lixo é no lixo. Não adianta, proibir, tem que explicar, tem que conversar. As palavrinhas mágicas como: Por favor, Dá licença e Obrigado, devem fazer parte do cotidiano, inclusive no trato com eles.


Aqui em casa, conversamos muito, sobre tudo, tudo mesmo. Meus filhos participam de tudo e tudo, tudinho é tratado sempre com a verdade, me orgulho de não mentirmos uns para os outros. Quando erro, (e é claro que erro um monte com eles, pois não sou perfeita) peço desculpas (me humilho se for preciso, quando vejo que pisei mesmo na bola), tento explicar o que me levou àquele erro e que estou arrependida. Até aqui, tem dado certo!


Então, “O exemplo vem de cima!”, já diziam os antigos, vamos nos policiar e nos concentrar em dar mais e bons exemplos e menos ordens, além de mais gostoso, faz bem à todos. O respeito pelos outros começa, ou pelo menos deveria começar, dentro de nossas casas. Podem acreditar, eles aprendem tudo o que ensinamos, e o problema é que usam exatamente como aprenderam.


A cumplicidade, a verdade, o respeito e o amor criam e fortalecem os laços que nos unem aos nossos filhos pra sempre!


Beijos,


Cris João.

Fotos: tudoetao.blogspot.com/2009/09/vamos-exercitar...e pt.photaki.com/pictures-sapato-p1

dezembro 29, 2009

Carcando no exagero


Pai, mãe, tio, amigo do pai, namorado da tia, caseiro, vizinho, estranho...
MUITO CUIDADO com as crianças ao seu lado!

Criança combina com brincadeira, doce, gelado, sorvete, suco de laranja, chocolate derretido, mas só combina com piscina e mar quando acompanhada por um adulto!

Cuidado negada!

Uma vacilada e tchibum, lá vai um girininho nadando!
Só que nós sabemos que eles não nasceram no mar.

Passou pela idéia, levar as crianças pra praia, já coloca a bóia! Depois você se preocupa com protetor solar e plaquinha de identificação!

Porque eu sei bem como é, é verem a água e os caras saem correndo pra ganhar o grande prêmio de chegada ao mar, não é assim?

E ultimamente a gente tá vendo uma onda de acidente com piscina... Ui!
Sai Zica!

Bora proteger os pequenos.
No começo, vão reclamar, chorar, se irritar... Mas é bem melhor ouvir o chorinho agora!!













É isso, exageros à parte, mas a regra é importantíssima!



Texto de Janaína
Fotos: Atenção; Bóia e Bóia de Braço


dezembro 23, 2009


Natal com criança é muito gostoso, esse ano achei que nao iria enfeitar nada, mas os dias foram passando, as luzes na cidade foram aumentando e quando olhei meu filhote Murilo encantando olhando por ai o papai noel e coisinhas de natal, nao tive duvida, catei a mao dele, fui na primeira loja que deu e comprei uma arvore, enfeites, luzinhas e fomos correndo pra casa montar. Não sei quem era o mais empolgado eu ou ele....eu, claro! Ele so queria ficar mexendo nas coisas e falando:”vamos por aqui mãe ?“ “ O que e’ isso mãe ?“ Claro que não acabei no mesmo dia e ate ontem (dia 22/12) eu ainda estava colocando luzinhas, botinhas e inhas pela casa. Acho que tem que enfeitar sim, parece que nasce no nosso coração uma coisinha que vai enchendo de alegria, quando vamos deixando tudo do nosso jeitinho.


Comadre (Jana) também ADORA um enfeite, que digam os filhotes João e Pedro, piraram na decoração dela (da casa), rs. Ah! E o maridão parece que também amou, hein.

Depois que voce ler o relato da Cris (que mais uma vez arrasa nos seus textos) você vai entender, porque devemos sim enfeitar para o Natal.





Cris e Doces memórias de Natal...


Como já sabemos, as memórias, lembranças e traumas da infância são muito importantes para o nosso desenvolvimento físico e emocional. Quanto mais e melhores as lembranças, mais felizes e seguros nos tornamos. Vem daí essa história:

Meus filhos, Matheus (13) e Marcus (12), todos os anos, como toda criança, tiveram que escrever uma redação pra escola sobre o Natal e constatei o seguinte: Todo ano, os dois, escrevem praticamente a mesma coisa como se copiassem um do outro, apenas o jeito de escrever e a maturidade conquistada a cada ano, difere as duas redações que dizem o seguinte: “Todo Natal é sempre igual, minha mãe compra uma árvore enorme e de verdade e começamos a enfeitar.Todos têm que ajudar e a estrela no topo da árvore, quem coloca é meu pai porque ele é o grandão. A minha mãe fica colocando um monte de lacinhos (coisas de menina) e a gente faz a maior farra. Depois de tudo pronto, vem a hora mais esperada e comemorada: inaugurar o pisca! Eu e meu irmão, desde pequenininho, ficamos horas deitados no chão olhando aquela maravilha e lembrando dos Natais que já passaram...A gente fica imaginando os presentes que vamos ganhar (que o Papai Noel trazia até um tempo atrás...), a gente fica lembrando que Natal tem que ter panetone, rabanada, bolinho de bacalhau, tem que ter presente, tem que ter pernil, Vó e Vô, árvore de Natal, Presépio, Papai Noel com renas, mais presentes, amigos e família!”


Foi pensando nisso que cheguei a conclusão que se todo ano eles descrevem o Natal e suas lembranças da mesma forma, do mesmo jeitinho é que já criaram suas Doces lembranças de Natal e já dá pra dizer que essa magia faz parte de suas memórias e que seguirão juntos pra sempre! Sinceramente, fico muito orgulhosa e feliz de ter ajudado a construir tudo isso. Reparei, também, que o Murilo (da Andrews) também já tem as suas lembranças. Se vocês vissem o entusiasmo e o brilho nos olhos dele me contando sobre a ornamentação de sua árvore, é no mínimo, emocionante.


É por isso, e por tudo isso que nessa época do ano, eu respiro fundo, esqueço (ou pelo menos tento) o stress e o corre-corre, a disputa pelos presentes, a tristeza e nostalgia pelos amigos e parentes queridos que já se foram e deixo o verdadeiro Espírito Natalino tomar conta da minha casa, aqui só entra alegria e felicidade. Tudo é feito no maior capricho e como manda o figurino. Tem enfeite na porta, na maçaneta, no lavabo, na mesa, tem presépio e em cada cantinho tem um detalhe Natalino. E assim, a cada ano renovamos nossas lembranças e fazemos planos para o próximo ano.


Deixe o Natal tomar conta de você também. Acredite, Papai Noel existe!!


Beijos,


Cristina João.


Depois de tudo isso so queremos desejar um FELIZ NATAL à todos que nos seguem, comentam, que apenas passam, que se divertem, que nos conhecem....

RECOMADRES



Fotos: Anne Gueddes e http://www.tudomesmo.com.br/receitas/natal/imagens/receita-de-biscoito-de-natal.jpg

dezembro 22, 2009

Gente! Nao sumimos nao, apenas a correria de Natal

Mestre Cuca





Férias, calor, verão, mentes inquietantes, criançada em casa (no meu caso apartamento), para quem não vai à praia (eu costumava ir muuuuuuuuuuito), não é tarefa muito fácil aquietar os pequenos com tanta euforia, energia (graças a Deus) pra gastar... mas ultimamente, não só nas férias, tenho feito uma coisinha que está dando bem certo na hora do estresse e também na hora de comer. É a “hora do Mestre Cuca”, claro que não falo assim, pois meu filho diria: ãh? Eu digo para ele se quer ajudar a fazer a comidinha. Ele adora! Pega sua micro cadeirinha e vai para meu lado, claro que fico no comando e vamos fazendo o que dá...ele fica esperando, curte um monte, dou uma colher na mão dele, ou então deixo que ele manipule as coisas com menos riscos.



Vamos deixar bem claro que para isso, como quase todas as atividades que fazemos com os pequenos, temos que estar bem tranqüilas, bem dispostas e bem desencanadas, pois imprevistos acontecem, sujeiras vão rolar, mas também com isso muita diversão. Ah! E precisa ver como comem bem melhor, ao menos aqui tem sido assim. Na escolinha do Murilo tem atividade de culinária e eu como louca pra gastar “meus dotes artísticos”, quando pediram um avental, coloquei logo a cabeça e as mãos para funcionarem, fiz um avental de tecido mesmo (ainda e’ provisório, vou fazer um mais legal para o próximo ano), peguei vários desenhos do filme “ratatouille” (sobre um ratinho chef de cozinha) e passei o desenho com uma caneta de tecido. O importante nem é isso, mas sim que incentivemos os pequeninos a se dedicarem e dar valor ao que estão fazendo, pelo menos é o que eu acho.



Já tinha visto em algumas matérias, sobre a participação da criança na hora de preparar a comida, o lanche ou até mesmo aquele leitinho gostoso. Segure na mãozinha deles e deixe que eles sintam que estão fazendo seu próprio alimento. Vale a pena lembrar que todo cuidado é pouco, longe de fogões, longe de coisas que podem queimar ou quebrar, mas da sim para tentar. Você vai se divertir junto, tenta!






Um beijo


Contagem regressiva para chegada do Noel....

Texto de Andrea
 
Foto: cadernodedeceita.blogspot.com/ e http://images.fanpop.com/images/image_uploads/Ratatouille-pixar-67310_1280_1024.jpg


dezembro 17, 2009

Gente, algumas dicas abaixo da Cris, (que ja tem alguma experiencia), a gente pode ate ja ter ouvido falar, mas nao custa lembrar...

Cris e Isso pode...isso não pode!



Às vezes a gente não tem um monte de perguntinhas que a gente gostaria de fazer mas não sabe pra quem?? Algumas eu fui fazendo pra minha mãe, outras pro pediatra, outras pras amigas e outras ainda estão sem resposta...aí eu apelo pro bom e velho “bom senso” e seja o que Deus quiser!!

Lembrei de algumas, que por algum tempo me atormentaram, espero ajudar alguém:

- Mamar só no peito: isso ninguém tem dúvida é só um lembrete, isso pode e deve ser a única alimentação do seu bebê até os 6 meses de idade!

- Usar chupeta e mamadeira: isso pode e acalma um monte, sempre sob a orientação do seu pediatra.

- Tomar chazinho e aguinha até os 6 meses: isso não pode, lembra, só peito (o pediatra dos meus filhos diz que se chá e água fossem bons para bebês, as mães teriam uma “teta” de cada!)

- Comer besteiras e guloseimas: isso pode mas deve ser o mais adiado possível. Lembre-se: você não sente falta do que não conhece, e depois que conhece, não vive mais sem!Então, vamos adiar ao máximo esse amor pelas besteirinhas. Fica bem difícil ter que comer uma pêra ao invés de um deliciooooooooso chocolate, né?

- Cólica de bebê: isso não pode apesar de ser comum, procure seu pediatra, existem vários remédios, muito bons e eficazes só pra isso. Em tempos modernos, ninguém merece ficar com dor só porque é “normal”.

- Na hora do desespero, usar aquele remedinho que a comadre usou e deu certo: isso não pode nunca! Comadres, avós e amigas não são médicas! Ás vezes a gente mascara um problemão com “remedinhos” errados. Consulte sempre o pediatra antes de medicar seu filho, isso é muito sério!! (Aliás, ninguém deve se medicar sozinho!!)

- Ferver toda roupa, bicos de mamadeira e de chupeta: gente, isso pode mas só até os seis meses, depois, vida normal, o sistema imunológico do seu bebê precisa de vitamina S de sujeira. Ah, e os bicos de mamadeira e chupetas, basta que sejam lavados com água e sabão e trocados com freqüência, não adianta ficar fervendo pra sempre, é nojento!

- Comer a bolacha que caiu no chão, o doce babado pelo irmãozinho, biscoito com areia, etc.: isso pode, lembra da vitamina “S”? Só não deixa virar rotina....

E por aí vai, tem mais um monte...e o mais importante é usar sempre o bom senso, na verdade, tudo pode, é que algumas vezes pode mas não deve! Entendeu??

Beijos,
Cristina João.

Fotos: Anne Guedes e  http://www.sdr.com.br/Ideias/Ideias383a.jpg

dezembro 16, 2009

Por que, hein?!

É cada uma, que só vendo e ouvindo pra acreditar!!!!

Há alguns anos... Muitos... Meu irmão perguntou pra minha mãe: "Mãe, puquê a ua ta quebada?"
"O QUÊ???" - respondeu a coitada. E depois de uma reunião com mais 5 pessoas chegamos a seguinte conclusão: o cara estava perguntando por que a Lua estava quebrada (devia ser minguante ou crescente).
E pra responder?
Não me imagino nessa hora! Se pra descobrir a pergunta, já foi um martírio... A resposta...

Aí seguimos com os por quês e comos?

De novo minha mãe e sua mania de respeitar a capacidade das crianças. Ela explicou o que era o parto normal e cesariana pra nós 4 no mesmo dia (detalhe: eu e minha irmã caçula temos 11 anos de diferença).
E tudo isso porque a menorzinha questionadora foi perguntar porque ela nasceu da "baíga" e nós três da "piiquita".
Eu, no lugar da mamãe, enfartaria ali mesmo!

E assim segue nosso conhecimento... Questionando os porquês e obtendo nossas respostas...

Por que eu não posso jogar video game agora (21h)? - Porque é hora de você dormir!
E por que eu tenho que dormir agora?- Porque seu corpo tem que descansar pra poder estudar amanhã cedo.
E por que eu tenho que estudar cedo? - Porque assim você consegue aproveitar mais o dia e fazer suas aulas de futebol.
E por que meu amigo estuda a tarde e faz aulas de manhã? - Porque a mãe dele achou que assim fosse melhor.
E por que...

Geeeente. Assim eu não posso!
Como devemos sanar todos porquês se eles são infinitos?
Ou será que meu filho vai ser jornalista?

Mas falando sério: A-DO-RO essa fase do por quê?


Um beijo e até.


Escrito por Janaína
Fotos: ligadosletrados.blogspot.com e astrosurf.com

dezembro 14, 2009

Cris e Quanta Imaginação...



Desde pequeninos, usamos nossa imaginação. Atenção ao que dizem especialistas como Freud e Bachelard, entre outros: “A infância é a grande fonte da nossa vitalidade imaginária. a imaginação na infância tem uma sensibilidade especial, porque as crianças tendem a se entregar mais livremente à fantasia, e que da plenitude da experiência imaginária na infância depende, em boa parte, a saúde psicológica na idade adulta. O poder específico da imaginação da criança tem muitas razões: uma das mais singelas é o fato de a imaginação se nutrir de imagens novas, e para a criança o mundo está cheio de imagens novas.” Esse assunto vai longe...eles acrescentam:” Como os pais devem agir para não reprimir a imaginação dos filhos? O mundo da imaginação infantil é uma caixinha de surpresas maravilhosa! De lá saem muitos pensamentos, ações e comentários, por muitas vezes, engraçados. O princípio do respeito ao que a criança diz, é a questão básica para não reprimir a imaginação dos pequenos. Nesse mundo agitado que vivemos fica difícil parar para dar atenção ao que dizem as crianças. Entretanto, esse momento é valioso e muito importante para o desenvolvimento da criança, pois a imaginação está ligada a criatividade. Então, ouça o que seu filho diz, não julgue antecipadamente, nem desmereça a história que foi contada. Estimule lançando perguntas e até mesmo fazendo sugestões, se a criança permitir. Ao final, ajude a criança a distinguir sobre o que pertence a realidade e o que pertence a imaginação. Essa troca é um bom momento para introduzir o que é certo e o que é errado e também para apresentar à criança o que você pensa sobre a vida.”


Então, mãos à obra: Vamos incentivar, nutrir e embarcar com eles na imaginação. Com certeza serão momentos ótimos para todos. Meu Matheus (agora com 13 anos) dizia que a vó dele (minha mãe) era o Homem-Aranha, mas que isso era um segredo! Vai saber de onde ele tirou isso? Mantivemos esse segredo trancado por anos. É claro que hoje ele acha essa história ridícula mas descobriu que ela não era o Homem-Aranha mas uma Super- Heroína de verdade! Entendeu?? O Marcus (agora com 12 anos) colocava a culpa de tudo num guaxinim de pelúcia que ele tinha, o que eu fazia? Se um dos dois, o guaxinim ou ele, não me dissesse a verdade, ficariam os dois, separados e de castigo, caso contrário, eu desculparia os dois. Sempre dava certo! E assim eles foram crescendo e eu incentivando e às vezes inventando histórias e brincadeiras. Hoje, são criativos, felizes e super inteligentes (claro). E até hoje damos asas à nossa imaginação!! Nessa brincadeira, vale até fantasiar-se e interpretar personagens reais ou imaginários, né tia Andrews? Minha casa é quase um hospício de pessoas felizes e realizadas! Ás vezes fica difícil saber quem tem mais imaginação!!


Experimenta, solta essa criança que tem dentro de você e viaja com os baixinhos.



Beijos,


Cristina João





Fotos: http://www.elisabethsalgadoencontrandovoce.com/figuras/imaginacao.jpg e http://coronelbessa.blogspot.com/2009/03/super-heroi-bombeiro-se-veste-de-homem.html

 

dezembro 10, 2009

A Cartinha do Noel


Natal chegando….As pessoas pirando, saindo, comprando e comprando, vamos ser sinceros, todos acabam comprando alguma coisinha. Alguma lembrancinha, alguns presentinhos. Bem, confesso que este ano vou ficar apenas no presente do meu filhote e algumas lembrancinhas se eu conseguir comprar sem neura, empurra, empurra, por isso, o post de hoje. O Murilo tinha que levar uma cartinha para entregar hoje ao Papai Noel, que iria na escolinha. Quando chegou o aviso fiz a maior festa e ele adorou (meio que não entendendo nada, mas bastaram umas palavrinhas mágicas para ele pirar: papai Noel, pedir, ganhar e presente).



Passaram-se os dias e eu sempre lembrando, "temos que fazer a cartinha", mas coitado com quase três anos, o que ele podia entender, falava sim e continuava a brincar. Lógico que deixei para o ultimo dia, não gosto de fazer isso, mas os últimos dias tem sido tumultuados aqui em casa. Enfim, ontem peguei papel, alguns frufrus e disse , senta aqui vamos começar. Gente hilário, ele sentou, mas não deu dois minutos e saiu andando (óbvio), lá comecei eu a cartinha. Perguntei algumas coisas para confirmar e para fingir que ele estava participando, comecei a ficar com muita dor de cabeça e acabei deixando para terminar depois. O fato é que EU acabei fazendo a carta sozinha, enfeitando sozinha e acho que a carta é mais minha do que dele, pois fiquei registrando elogios ao meu filhoe palavras de esperancas. No final da carta disse o que ele queria (que claro, já está até comprado) e pela manha quando ele acordou, mostrei o que tinha feito, o envelope e li o que tinha escrito. O rostinho dele foi de muita felicidade e orgulho (como se ele mesmo tivesse feito), seguindo para escola com a carta na mão.


Uma coisa nesta historia toda eu refleti, é muito gostoso acreditar em papai Noel, mesmo que na imaginação, ficar ali escrevendo para uma pessoa que "supostamente existe", foi delicioso, como num conto de fadas entrei na historia mesmo e sai gratificada com um sentimento de esperança que vamos esquecendo ao longo da vida. Ah! Vou fazer agora a minha cartinha, vai que ele (papai Noel) me atende....rs


E você já fez a sua, faz e conta pra gente.
Depois eu conto sobre a arvore de Natal aqui de casa...


Um beijo cheio de estrelinhas de Natal






Texto de Andrea
Fotos: inspiracoes-do-ser.blogspot.com/2009/11/mais-... e terroristasdepalmoemeio.blogspot.com/2007/12/...

dezembro 09, 2009

Cris e Baú de memórias...



Eu li em vários livros respeitadíssimos que quando adultos, somos reflexos de nossas muitas memórias afetivas. Não é que é verdade?! Então tentemos e tentemos construir muitas e boas lembranças para nossos filhotes.


Aconteceu aqui em casa: Sabe aquelas toalhinhas de mão que toda criança que vai à escola desde bebê leva na mochila? É aquela minúscula com o nome bordado.Meus filhos, é claro, levavam umas super enfeitadas, feitas no capricho com o maior carinho e tinha uma especial para os dias de passeios fora da escola (igualmente enfeitada mas sem as manchas do dia a dia), com o tal nome da criança bordado, bem grande, no centro.Pois bem, dia desses o meu Matheus (13 anos) tinha um passeio pro Museu Masp e depois pra um shopping, e eu, claro preparei a mochila com celular, carteirinha de identificação (vai que ele esquece o nome dele), umas guloseimas extras pro caminho, um video-game “maneiro” pra distrair, etc. De repente, ouvi um super grito que vinha lá da cozinha: ““- Mãeeeeeee, cadê a toalhinha de passeio? Sabe mãe, dá a maior insegurança viajar sem ela!”” “”- Puts, podes crê!!”” retrucou o Marcus (12 anos).


São essas e outras muitas histórias gostosas que vira pra lá e pra cá saem aqui em casa. Memórias felizes de uma infância ainda próxima mas cada vez mais distante.


É claro que também tem as memórias tristes, não menos importantes mas que ficam num outro baú, bem trancadinho, e quando uma delas escapa, a gente abre logo o outro baú e fica tudo bem...


E assim a gente vai montando nossos baús de lembranças, um para as boas e outro, para as outras. Lembrando que o baú das boas tem que ser bem maior que o das outras!!









Beijos,


Cristina João

Fotos: josedalmeidaemariafloresnomeobaudossonhos1 ehttp://neiva.passuello.com.br/wp-content/uploads/yapb_cache/infancia_feliz.dytwuej8fxssccgsoks4c44cs.801di6u7wqo0w0w8w8coswgk0.th.jpeg

dezembro 08, 2009

Pequenos adultos ou grandes crianças?



O pai é lindo, a mãe linda e chique, os dois ricos, famosos, talentosos (há quem discorde) bem, a filha só poderia ser esta coisa mais linda. Gente! Ela tem um rostinho perfeito...como disse outro dia para minha comadre, ela e’ um sonho de criança. Mas vendo uma matéria num site, me chamou muita atenção e tive que parar para pensar. Tudo bem que ela vive, ou melhor, ela e’ de um outro mundo que não o nosso de mortais “normais”, mais aí usar “salto alto” (ta bom não e’ tão alto assim) mas eu acho alto para uma criança. Esta parecendo uma mini mulher.


Cada vez mais as crianças tentam imitar os adultos ate mesmo no jeito de se vestir (mundo capitalista que vivemos). Percebendo e aproveitando isto, famosas grifes de roupas femininas vêem investindo no mundo da moda infantil. A grande sacada de algumas grifes, é respeitar a modelagem (infantil) e usar a estampa da estação como a roupa da mãe. Apesar de todo este apelo fashion acho que deve ter sempre um bom senso dos pais na hora de vestirem seus pequenos. As meninas estão cada vez mais cedo indo aos salões de beleza. Tudo bem eu não tenho filha menina (nem minha comadre, nem minha Irma, aaaaah!) Acho que deve ser difícil, afinal de contas os pequenos imitam os grandes (e nada melhor do que a “modelo” mamãe para seguir) elas querem pintar as unhas, se maquiarem, ate mechas em cabelos de pequeninas já vi. Gente, mais uma vez acho que temos que dar um pouquinho de limites aos nossos, ou então elas/eles irão pular esta fase de criança que está cada vez mais extinta.

Criança tem que usar roupas leves, confortáveis, que imprimam sim a sua personalidade, mas que sejam de crianças e não que imitem as de adulto. Devem se sujar (como a Cris já disse em outro post) brincar, usar sapatos confortáveis, mesmo porque pode acabar interferindo no desenvolvimento ortopédico. Nada contra a pequena das fotos, que sem discussão é muito linda, mas poderia estar usando uma sapatilha (de grife ou não) da mesma cor que não ia deixar menos glamouroso seu visual e com certeza estaria mais confortável. E voce o que pensa sobre isto?




Beijos




texto de Andrea

Foto:http://rgvogue.ig.com.br/flagra/2009/11/19/suri+polemica+9126110.html

dezembro 07, 2009

Cris e "Vô e Vó são pra estragar!"






Que atire a primeira pedra quem nunca ficou furiosa com o “deixa tudo” da mãe ou da sogra! Elas nos desautorizam sem a menor cerimônia, nos fazem fazer papel de palhaças diante de nossos rebentos. São loucas, apaixonadas, desenfreadas e até desequilibradas, sem noção mesmo! Mas imaginem, ser mãe é tudo de bom né? E então ser mãe da mãe ou mãe do pai!! Imaginou? Agora soma a experiência de vida delas (que acham que sabem tudo, e quase sempre sabem mesmo), mais um amor sem medidas, desequilibrado, sem compromisso com a educação e só de visita. Só podia dar nessa combinação perfeita: uma coisa fofa, tão doce que se a gente apertar demais cai até açúcar, tão terna, tão sábia e com uma casa em que se pode tudo, tudo mesmo. Lá vale sobremesa fora de hora, se empapuçar de guloseimas, brincar na chuva mesmo com tosse, só comer coisas gostosas e só parar quando não agüentar mais!! E isso vale pra qualquer avó, pode ser materna, paterna, emprestada, vódrasta, vó rica, vó pobre, vó preta, vó branca, vó é tudo igual. Podiam inventar vó de aluguel também!

Pára tudo e responde rápido: Vó não tem cheiro de bolo quente, fofinho que acabou de sair?? Vó não tem o colo mais fofo do mundo? (parece que vem com almofadinha). Vó não descobre sempre aquilo que a gente mais queria e torna realidade? Vó não tem a pele macia e gostosa? Vó é tudo de bom, então deixa elas estragarem nossos filhos, fazerem aquilo que a gente queria fazer mas o bom senso breca.Afinal Vó e Vô são mesmo pra estragar as crianças os pais é que tem que educá-las (Isso vinha no manual, página 67, lembra?)


Ah e o Vô? Esse é uma vó com um pouco, mas bem pouco, mais de bom senso, esse cara merece um capítulo à parte.


Lembrem-se: deixem as avós estragarem nossos filhos e um dia vai chegar a nossa vez!!

Beijos,


Cristina João


Foto:http://mblunck.spaces.live.com/blog/cns!6A477FF897E96074!5293.entry

dezembro 04, 2009

Filhos adoecidos, maes compadecidas….



Nao sei se o termo e’ bem este, mas basta nossos pimpolhos terem um olharzinho de dodoi que ficamos rapidamente chateadas. Claro! que seja na gente, mas em nossas crias não. Pois foi assim que aconteceu estes dias, comigo e com minha comadre, esta mesma que esta sempre dividindo comigo “quase” tudo, também criadora deste blog, mãe, amiga, tão amiga que ate na hora da doença fica doente, rs. Não esta entendendo nada?!, vou explicar... Na segunda feira acordei com um mal estar e resumindo para não ficar muito longo, estava com virose, não passou nem algumas horas para perceber que meu filho estava também.....ah! não, nele não.....mas foi, passamos o dia ruins e sem a menor condição de ficarmos de pe’. No dia seguinte falei com minha comadre e para minha surpresa estava ela e o filhote mais novo, meu “dindo” João, com gripe, ele piorzinho claro, com febrinha, enfim ficamos nos falando por telefone, pois nem ela queria pegar virose e nem nos que já não estávamos la estas coisas, queríamos pegar gripe.

A grande verdade e’ que não importa o que aconteça, mas que não afete nossos filhos, não agüentamos, queremos e sofremos junto com eles, não da pra suportar aquela carinha de dor, febre, mal estar. Não importa o que digam, lógico ajuda bastante o carinho que nos e’ dado, aquele “se precisar de alguma coisa”, sempre e’ bem vindo, pois o que mais queremos e’ saber que não estamos sozinhas, que podemos contar com qualquer um que nos de a mao, isso já ‘e uma grande ajuda. So que queremos mesmo, e’ nossa criança feliz, aprontando todas e nos deixando de cabelos em pe. Isso sim, e’ trabalhoso, e’ cansativo, mas muito gratificante. Ver aqueles rostinhos cheio de alegria e descobertas novas, não e’ propaganda, mas não tem preço.

Passados alguns dias, horas, remédios, sonos....melhoramos e eles também, sim, o João e’ o que ainda esta sofrendo um pouco mais, coitadinho, a minha comadre ainda esta se recuperando de uma forte gripe e sofrendo também....Infelizmente e felizmente faz parte do “SER” mãe, desta divindade de sermos responsáveis por seres tão indefesos, tão dependentes e que nós, indiscutivelmente, amamos acima de tudo e de todos. Que seja dado a nos MAES, muita forca, muita saúde, para podermos cuidar e zelar os nossos. Que possamos dar muito amor, carinho e muitos colinhos, porque tem coisa melhor que colinho de mãe?

Bons fluidos, uma conversinha com o pediatra, chazinho para as mamães se acalmarem, crianças medicadas e tudo vai dar certo! Comadre forca que tu consegue. Vamos nos preparar para brincarmos juntos e seguir em frente.


Um grande beijo

 Texto de Andrea


Fotos: http://asasnegras.blogs.sapo.pt/arquivo/quadro_mae_e_filho5.jpg e http://bluebirdnotes.blogspot.com/ 



dezembro 03, 2009

Hiroshima e Nagasaki

Banho e ao acordar são os meus momentos de por as idéias no lugar.
Só as idéias mesmo. Porque o resto...
Quando cresci, aprendi que é de pequeno que se aprende. E é assim que eu tento ensinar os meus  pequenos!!

Mas não sei onde estou errando, só sei que estou.
Quando acordei hoje, planejando o que deveria fazer pela manhã, me veio a cabeça Hiroshima e Nagasaki.
E o que isso tudo tem a ver com meus filhos? Minha família? Nada!
Somos descendentes de italianos, portugueses, nordestinos, índios e holandes!!! Além da paixão pela cozinha oriental... Nada!
Aaaah! Falta de sono! Excesso de cansaço! Huuuum... Pode ser, mas não é também!

Hiroshima e Nagasaki, minutos depois das bombas, são respectivamente os quartos do Pedro e do João.
Nessas devidas proporções.
Não sei mais o que fazer!

Já demonstrei como é bom um quarto arrumado, já deixei sofrer procurando um objeto perdido no meio do caos, já proibir de brincar até que tudo estivesse no lugar, já fiz greve de fome e ameça de suicídio!
NA-DA!!

E o pior que o menor, se espelha e segue exatamente os mesmo passos!

Neste momento estou entrando em contato com a ONU, pra pedir orientação e apoio, pois preciso ver se tem roupa suja pra lavar... E ainda acho que se arrastar aquela caixinha de Hot Wheels, vou achar a portinha do paraíso!!!


Aaaaaaah... E quando eu descobrir o caminho do ensinamento, vou receber o Nobel da Paz! CERTEZA!

É isso.
Um beijo eaté.

Escrito por Janaína.
Fotos: Hiroshima, Nagasaki e Paraíso

dezembro 02, 2009

Cris e Dando nome aos bois...


É assim que começa tudo. Nuns livros bárbaros de psicologia infantil* e com uma amiga e terapeuta da família (Dra. Mrª. Paula Carvalhaes) que é muito importante que desde cedo, a gente ensine os pequenos a identificar cada um dos sentimentos que vão aparecendo. E' aí que a gente entra. Todos, acreditem, os sentimentos são importantes: raiva, nojo, asco, repugnância, perdas, medos, acertos, tristezas, angústias, alegrias, entusiasmo, ansiedade, decepções,etc.,todos! E guardadas as devidas proporções devem ser todos bem vividos, resolvidos e rotulados. Nós as mães de plantão, podemos ajudar: Sabe quando o brinquedo preferido quebra, claro que o pimpolho fica triste, chora, o mundo dele acaba e você não pode dizer: Não chora, não foi nada. Foi sim!! Você pode ajudá-lo a identificar essa tristeza mostrando-se solidária, entendendo, ajeitando aqui e alí daquele jeitinho que só as mães conseguem, exemplificando, sempre que possível, com suas experiências. O mais importante é que fique claro que ele não está sózinho! Nunca!!!



Assim, a medida que as situações vão surgindo, os sentimentos vão sendo entendidos, vividos, classificados, nomeados, rotulados, trabalhados e vão sendo todos colocados tudo no lugar certo, nos baús de memórias, tudo sempre junto com eles.


E quem disse que é fácil crescer? Temos que ajudá-los nesse caminho sem volta. Quando nos conhecemos e aos nossos sentimentos, nos tornamos mais seguros e melhores, sempre!!

Beijos

Cristina Joao

* - Inteligência Emocional, John Gottman PHD & Joan De Claire, Editora Objetiva.
- Mentes Inquietas, Ana Beatriz B.Silva, Editora Gente.
- Seja feliz meu filho, Içami Tiba, Editora Gente.

Fotos: http://www.adorocinema.com/media/film/images/segredo-dos-animais/1245103182_segredodosanimais05.jpg e
http://www.lhmbrasil.com.br/blog/wp-content/uploads/2009/06/061409_1727_Overdadeiro1.jpg





dezembro 01, 2009

Depoimento de TIA


Ha' 13 anos atra's (outro dia tive que perguntar, pois nao lembrava ao certo, desnaturada!) nasceu uma crianca mais linda que eu ja tinha visto ate entao, um recem nascido com a bochecha (e e’ ate hoje) mais redondinha, um rostinho mais fofo….bem, era o meu primeiro sobrinho (Matheus), filho da Cris e nao sei se pelo fato de ser minha irma (única) e sempre fomos muito amigas, fiquei muito feliz e não podia descrever pois nunca tinha vivido tamanha emoção. Como primeiro tudo de nossa família, neto, sobrinho, filho ficamos babaaaaaaaando por ele, dormir abraçado com ele era tuuuudo de gostoso, passear na orla da praia com ele no carrinho.....fofo, e ele era e e’ ate hoje muito simpático, um sorriso e não precisa falar mais nada. Bem, passado 1 ano e 1 mês la estava eu ficando com este fofucho na casa dele para minha Irma ter o segundo filho (Hein? Não, você não perdeu nada, ela teve outro logo em seguida), esta historia e’ dela e ela conta uma outra vez..... e’ lógico que ficamos novamente e igualmente emocionados, so que desta vez ficamos esperando eu e o pequenino, seu irmãozinho chegar com a mamãe. Chegaram com o Marcus (hoje com 12 anos) uma bolinha branca, branca, um pouquinho rosado ele foi ficando....mas sempre uma bolinha (enquanto pequeno) Hoje ele e', ta bom, ja foi, o modelo da familia (ja desfilou e tudo). Sao meus amores, igualmente amados. Nao vou falar do cabelo que eles estao insistindo em deixar crescer, porque eles nao vao gostar, rs.


Quando eu era adolescente sempre quis ser diferente em tudo (tipo ovelha negra da família), mas tem uma coisa que quando vi pensei: “quando tiver os meus quero ser igual”, a forma como a Cris sempre educou seus filhos. Não! E a paciência...aff e tudo, a maneira de conversar, quando um se machucava tinha muita calma e eu pensava: “Meu Deus, se fosse eu tinha desmaiado de desespero” enfim , ela sempre foi e e’ ate hoje um exemplo, vivo ligando pra perguntar alguma coisinha...rs.


Nesta sexta-feira que passou (27/11) meus sobrinhos (aqueles la de cima que eu comentei) foram ao show do AC DC (pra quem não sabe uma banda de rock das antigas) Sim, ela mais uma vez me deu uma lição de vida sei la, quando ela comentou que eles iriam (e isso foi bem antes) eu fiquei achando que ela não deixaria e que acabaria por ali, mas o dia foi chegando e as crianças se empolgando e eu vendo que aquilo era verdade. Apesar de eles terem ido com o marido da minha prima Vane (temos aqui que agradecer, obrigado Fabi!!!) eu achava um absurdo meus dois pimpolhos, bochechudos, no meio daquele povo todo, metaleiros, roqueiros seja la o que fossem, não eu não queria acreditar.

Chegou então o grande dia, imagina a emoção das crianças e eu acho que era a mais nervosa, ligava pra ela direto pra saber de todos os detalhes. Passado o dia, ou melhor, a noite, ela também foi monitorando tudo e me contando, recorri a todos os santos, outros pensamentos e foi tudo bem. Ser tia não e’ tão fácil assim...As crianças amaram e foi quando ela me disse uma coisa que me caiu a ficha: “Se você visse a carinha deles quando foram e voltaram, de felicidade, já valeu tudo”. E e’ esta a verdade, fazemos tudo por nossos filhos, a maior recompensa esta no rostinho deles, na alegria.



Dada a lição, acho melhor ir me acostumando pois o meu pequenino já faz com a mao e diz: “Rock’ n’ roll” ....pensa!!!!






Beijos e ate






Texto de Andrea

Fotos: http://s246.photobucket.com/albums/gg111/meusrecadoscom/pais_filhos/0007.jpg e http://www.imotion.com.br/imagens/data/media/67/3708acdc.jpg




novembro 30, 2009

O calor e o balde

Um calor de matar sagui a seco.
Um verão prematuro que insiste em aparecer acompanhado de uma banho de chuva.
Duas crianças sedentas, entediadas e saudáveis, prontas pra entrarem em ebulição.
O que fazer?
Não moro na praia como a Cris, e nem num prédio com área de lazer como a Andrews.

Moro num prédio sem piscina, sem parquinho e sem monitor de recreação! Aaaaah!
Aí veio o mais gostoso, a nostalgia. A saudade das tardes quentes na casa da minha vó.
Banho no tanque! Huuuum! De calcinha e tudo!
Quando chovia, o banho era de balde no banheiro mesmo. E esses eram os melhores!

Por que não?
Por que sim!
O João toma banho no balde há muito tempo. Banho mesmo! De higiene. Uma maravilha retrô nos tempos modernos. Há quem chame de ofurô, mas prefiro mesmo o velho balde!
Mais barato e pessoal.


Aqui temos 2, o de limpeza e o do João.
Com água morninha, um irmão grandão do lado fazendo gracinha, o calor indo ralo abaixo com a sujeira e a alegria tomando conta da galera!

Final de banho, um jantarzinho levinho, um beijo e boa noie crianças!


Vai a dica: banho de balde, ou ofurô de criança como preferirem. Sem limite de idade. Ou até caberem.

Um beijo e até.


Escrito por Janaína
Foto: Anne Geddes e Globo

novembro 27, 2009

Cris e Plantinhas de estimação.



Em tempos de vida corrida e tempos de apartamento nem sempre podemos satisfazer a vontade dos pequenos de ter um animalzinho de estimação. Resolvi meu problema, pelo menos momentaneamente, com uma plantinha de estimação. Cara a idéia é essa de cada um ter a sua, ter que plantar, cuidar, regar e tudo que elas precisam. Acreditem desde pequenos eles podem, querem e conseguem cuidar dos outros. Meus filhotes plantaram ainda muito pequenos, há uns 10 anos atrás, um pé de tangerina (com os próprios caroços) num vaso. A bicha foi crescendo e já vou ter que trocar de vaso pela quarta vez, já é quase uma árvore, que vem crescendo, se desenvolvendo e um dia vai dar frutos junto com eles. O mais legal nisso tudo é que todos da casa podem participar, cada um planta a sua, pode ser pequenininha, pode ser grandona, a casa vai ficando toda colorida, cheia de vasinhos e as crianças vão exercitando de forma concreta a responsabilidade, solidariedade e respeito à Mãe Natureza.


Uma dica: feijão nasce até em algodão molhado, lembra das experiências da escola? O melhor de tudo: cresce muito rápido e você pode ver a satisfação do seu filhote mais depressa. Corre, tá esperando o quê? Quem sabe nossos filhotes, futuros jardineiros e paisagistas não conseguem salvar o Planeta? Certeza mesmo, é que serão pessoas melhores!


Beijos,


Cristina João

Fotos:http://4.bp.blogspot.com/_gQf3pC0ttuo/SidU8kWQqBI/AAAAAAAAB5I/xszzVHr4utc/s400/Crian%C3%A7a+com+planta+(+tudo+em+branco+-+lindo+).bmp e http://webdemais.com.br/wp-content/uploads/2009/10/regar_planta.jpg.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tem mais disso

Related Posts with Thumbnails