Páginas

março 22, 2010

É, a vida tem dessas coisas...



... Ontem, eu estava em casa e meu filho, Matheus (14), chegou da escola, bem chateado. Como já dissemos inúmeras vezes aqui, ele é um pequeno grande com um coração do tamanho do mundo e dono de uma inteligência tão à frente de seu pouco amadurecimento, que na maioria das vezes fica difícil entender as coisas da vida. Voltando ao assunto, ele estava chateado porque o livro de inglês dele, caríssimo, diga-se de passagem, sumiu na escola. No ano passado, foi um casaco de marca hiper-mega caro. Ele então, resolveu desabafar: “Mãe, você não fala sempre que a escola é continuação da nossa casa?? Como somem minhas coisas?? Mesmo que as tenha esquecido em algum lugar, elas não deveriam estar ali, onde as esqueci??” e prosseguiu com suas divagações: “Porque quando eu acho alguma coisa, eu levo até os “achados e perdidos” da escola e os outros não??” Tentei argumentar que cada um é cada um, mas ele logo foi me interrompendo: “As outras mães não ensinam o que você nos ensina??”, “Meus amigos não são mais meus amigos, não posso mais confiar neles??” “Do que adianta fazer tudo certinho???”.


Caramba, fui me encolhendo nas minhas convicções, murchando mesmo, e ele ainda disparou: “Pra mim chega, cansei de ser bonzinho, o que eu ganho com isso? O mundo é muito injusto até com quem é bom!”

Gente aquilo parecia um soco na boca do estomago. Meleca!, pensei. Fiquei passada, respirei fundo e já quase me entregando, lembrei das horas de análise que fizemos, eu e ele, há um tempo e comecei: “Cara, que coisa chata tudo isso!! Tem vezes que as coisas parecem fora de controle mesmo, a vida parece mesmo injusta, e as vezes é mesmo, mas você consegue ser diferente?? Consegue pegar algo que não seja seu?? Consegue fazer mal pra alguém com intenção de ser mau, ou só por diversão??” NÃO!, foi a resposta. Então um pouco mais aliviada, continuei: “Crescer tem dessas coisas, é difícil mesmo ver que alguns daqueles que cresceram com a gente, em algum momento, se transformaram em estranhos, que deixaram de acreditar nas mesmas coisas que a gente, mas a gente não está errado em querer ser bom e melhorar sempre, eles é que não servem mais para serem nossos amigos. Infelizmente, daqui pra frente, inevitavelmente, você irá se decepcionar com algumas situações e pessoas e terá que escolher quem merece estar ao seu lado. É difícil mesmo, mas você saberá escolher!! Não é você que tem que mudar. Vamos continuar acreditando que podemos viver num mundo melhor, com pessoas melhores, vamos continuar...”



Claro que ainda emendei um pequeno sermão por não tomar conta direito do que é dele, e vou morrer com o dinheiro pra comprar outro livro que já encomendei, mas resumindo acho que chegamos ao entendimento.

Duro mesmo é ver nossos pequenos descobrindo que a vida não é tão florida quanto mostrei, que as pessoas não são todas, tão boas, como as que sonhei para conviverem com eles, que decepções virão, que crescer é mesmo muito difícil, que daqui pra frente, não vai dar mais pra evitar situações como evitávamos acidentes quando eram pequenos.


Passado o choque, e a melancolia, resolvemos que não vamos desistir de melhorar sempre, de construir um mundo melhor fazendo cada um a sua parte, independentemente dos outros, e que ao nosso lado só estarão aqueles que mereçam.



Ufa, que saudades de alguns anos pra trás quando os problemas não passavam de um carrinho que quebrou a rodinha, ou um bonequinho que soltou o braço... nessa grande “brincadeira” de mãe e filhos, ainda não descobri quem é que aprende mais!!!


Beijos,


Cris João.


Fotos: criancas, amigos, caminho, coracao.

11 comentários:

Karina disse...

Oi Cris!

Este texto já está aqui separadinho para meu pequeno ler quando chegar em casa.
Fiquei apaixonada pelo seu menino (um mocinho) e de cara achei parecido com o meu, como é difícil ver eles crescerem e se confrontarem com a realidade que as vezes pode ser tão dura, os criamos como se fossem príncipes, em um conto de fadas, onde a bondada, a educação e o respeito sempre superam o mal, mas nós sabemos que lá fora existe um mundo bem diferente, que por muitas vezes vai decepcionar nossos filhos, a única coisa que desejo é que esse mundo não os tornem meninos duros e sem caráter, e que no futuro eles posam reproduzir nossa educação com os nossos netos.
Beijocas...
Adoro seus textos, sempre me fazem pensar a ser melhor.

Driks Barreto disse...

Oi Cris!!! Também não entendo o que anda acontecendo com as crianças de hoje em dia, e fico me perguntando se elas não ensinam como se comportar, como deve se tratar um amigo...Meu filho de 7 anos sempre tem problemas com "não sou mais seu amigo" se não entrar na onde de fazer coisas errada, e ele chega em casa arrazado tadinho...realmente não está facil,
pq por mais q acredite que possamos ter um mundo melhor, tb não acho justo eles passarem por essas coisas sem fazer nada.

Simone disse...

Se todos no mundo fossem iguais a você...

Parabéns pelo ensinamento, Cris João. Queria eu que todos fossem assim. Corretos. Honestos.

Bjs meus e da Sofia.

Roberta M. disse...

Cris, amiga querida, ai como é dificil mostrar aos nossos pequenos que a vida não é cor de rosa, mas como já dizia o CHE, hai que endurecer, pero sin perder la ternura!! Temos que mostrar a eles que sim, a vida não é cor de rosa, mas tem outras cores, uma gama enorme delas, e nós é quem daremos o tom, eu prefiro pintá-la colorida e assim que gostaria que meu filho a visse, mas saber que existe cinza, preto eventuais, não tira o colorido não é mesmo!! Eta tarefa dificil essa de ser Mãe!! Vc é um grande exemplo!! Um beijão

Santa Imaginação disse...

Puxa Cris!!!Que chato isso...também passei pelo mesmo problema...Só que no meu caso, me indignei, fui até a escola falar com a direção...não sei o que fizeram mas depois de alguns dias o livro do meu filho apareceu em um lugar toalmente fora do comum no colégio!!!Porque já tinham sumido com estojos etc...Mas que é difícil é, criamos de um jeito e outros despejam nas escolas como se a escola pudesse dar educação...
Bjs
Zu

Poesia do Bem disse...

Que chato Cris! E como está difícil educar nos dias de hoje não? Enquanto damos um duro com os nossos filhos há tantas por ai que nem sequer tem o mínimo de atenção.Só Deus pra mudar, bjs e venha me visitar!Confira as novidades

Dona Amélia disse...

Eu ainda não tenho filhos, mas faço bem a idéia do quão é difícil educar e dar valores de bem pros filhos, ainda mais hoje em dia, com essa falsa liberdade que nos ronda.
Uma coisa eu sempre ouvi da minha mãe: quer liberdade? Então aprenda a ser responsável, porque tudo nessa vida tem retorno.
E essa é uma das coisas que quero passar um dia a um filho.
Acho que vc foi tão feliz no que disse ao seu.
Parabéns!!

Patrícia

Dedinhos Lambuzados ! disse...

As coisas se repetem em diferentes endereços, pena ... Steiner ( Ped. Waldorf ) falava que de 0 a 7anos, para as crianças, o mundo é bom e é isto que temos que mostrar aos nossos pequenos, depois doa 7 aos 14 , para eles ,o mundo é belo e daí as decepções e descobertas do lado sombrio das pessoas e das situações... dos 14 aos 21 o mundo é real . Mas se dos 7 aos 14 anos fazemos eles entenderem - mais com o coração que com a lógica( pois na verdade a lógica deles ainda está em processo), não perderão o encantamento pela Vida e pelo Humano e começarão a perceber/entender estas pequenas grandes diferenças com menor sofrimento. Parabéns pelo papo , realmente a "bronca" que acompanhou faz parte do "ser mãe" (meu filho sempre diz lá vem o "ser mãe" ao invés de "sermão" !!!).O importante é que se sintam acompanhados, que tem alguém aí do lado , vendo-ouvindo-entendendo-compartilhando e se possível esclarecendo... Realmente este "cursinho preparatório para pais e mães começa só quando eles nascem...e não termina...NUNCA !!! Lamento o acontecido - mais pela decepção que pela perda material- mas que bom qua aconteceu e você estava lá !!! Bjs carinhosos, Mammy

c r i s disse...

Oi Cris, querida...lindo e perfeito... o filho e a mãe. Sua argumentação foi perfeita e é mesmo difícil vê-los amadurecer e descobrir o que há de pior neste nosso mundo, mas não deixar a peteca cair foi uma ótima pedida, e deixou-me inspirada, ser mãe é mesmo uma troca intensa e sem fim... bjo!

Rita Vieira disse...

Amiga, que situação, mas aprendi muito com você nessa! que manobra radical que você fez, hein?! caramba!

Espero que o maridão esteja melhor de saúde e que a sua festinha no final de semana abale as estruturas do high society! rsrs...muitos beijos e a minha admiração!

Dani Etoile disse...

EMOCIONANTE seu post... Parei e estou pensando no que virá pela frente... Meus problemas ainda se resumem nas rodinhas dos carrinhos (rs)! Parabéns à vc e ao seu grande pequeno!
bj
Dani

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tem mais disso

Related Posts with Thumbnails