Páginas

março 13, 2010

Diabetes Infantil...

Coisas do mundo moderno: a diabetes infantil está mais presente no universo infantil do que se imagina. Me lembro que na minha infância, só os vovôs e vovós apresentavam diabetes. As coisas mudaram, e hoje convivemos de perto com essa realidade, meus filhos têm amigos diabéticos desde bebês. Alguns nascem diabéticos e outros tornam-se diabéticos por uma disfunção no pâncreas, então vamos entender como funciona a doença e a importância das visitas periódicas ao pediatra:


Diabetes é uma alteração na produção de insulina pelo pâncreas ou uma resistência à ação da insulina pelo organismo. É a insulina que ajuda o organismo a transformar o açúcar (glicose), em energia para o funcionamento do corpo humano.


Sintomas- Os sintomas da diabetes infantil são sede, aumento de fome e emagrecimento, aumento do número de vezes em que se urina e são na maioria das vezes acompanhados por grande mal estar, sonolência, fraqueza, tonturas, câimbras e formigamentos.


Se não diagnosticada e tratada desde cedo, o mal pode causar variação brusca da taxa de glicose no sangue. O aumento da glicose, hiperglicemia, leva a criança a beber muita água. Já a hipoglicemia (baixa taxa de glicose) causa tremores, suores gelados, taquicardia e falta de resposta a estímulos. A variação pode levar ao coma.


A longo prazo, a doença causa perda de visão, derrame, infarto, hipertensão, impotência sexual, doenças pulmonares e insuficiência renal.


Nas visitas ao pediatra, que devem ser periódicas e regulares, o médico avalia todo progresso da criança, percebendo rapidamente alterações no peso, na cor, no crescimento e desenvolvimento em geral, solicitando exames de acordo com as necessidades de cada diagnóstico. Além é claro, de levar em consideração heranças genéticas.


Há tratamentos para a diabetes infantil, que é diferente da do adulto, e depende do tipo da diabetes, portanto, só o médico deve receitar tratamentos e remédios e até dietas. Como na maioria das doenças, o rápido diagnóstico e a responsabilidade no tratamento são o segredos para sucesso no resultado final.
Os amigos de meus filhos levam uma vida cheia de cuidados extras, mas bem próxima do normal. São crianças bem saudáveis e felizes.


Vale a pena lembrar: O fornecimento gratuito de medicamentos e insumos pelos Estados ou Municípios é garantido pela Constituição Federal.


Mamães, fiquem sempre ligadas nos seus filhotes, e qualquer alteração por mais boba que pareça, comunique o pediatra. Não deixe passar nada. Ninguém conhece seu bebê como você.


Lembre-se, a vida pode ser doce até para quem é diabético!!!




Beijos,

Cris João




6 comentários:

Roberta M. disse...

Cris, amiga querida!! Aqui em casa vivemos em constante preocupação com essa assunto pois viemos de uma familia de diabeticos, vó, tios, primos.....eu mesma não uso açucar em nada para tomar, sucos, café, nada, nem adoçante, desde muito cedo fomos acostumados com pouco açucar, preocupação de mamis, e para meu filho, nunca adocei um suco ou leite, usei laranja lima para adoçar até suco de cajá!!( ah, dava tudo para ele, ele tomava até pedra derretida se eu desse, então abusava das frutas e até quiabo dava para o bichinho), vivemos numa época perigosa para diabetes e o mais certo a fazer é prevenir!! Beijos e ótimo post querida!!!

c r i s disse...

Oi Cris, aqui em casa regulamos o açúcar, não somo muito de doces, o que mais pego no pé o refrigerante, não permito que tomem dia de semana...é melhor prevenir...
Adorei as fotos de vocês na barra lateral, lindas famílias!! Bjinhos a todas e bom findi!

Driks Barreto disse...

Oi Cris,realmente temos que cuidar dos pequenos,tenho um primo que é diabetico desde criança,e sei como é dificil...Muito bacana e informativo seua postagem de hj.Bj querida,bom fim de semana, fique com Deus!!!

Poesia do Bem disse...

Postagem muito importante.
Minha Alice não gosta muito d enada doce, o máximo um pedacinhod e chocolate uma vez no mês e olhe lá, não compro bolacha recheadas, e mal elea pede se tem.Sucos usa de soja , e vitamina de frutas com leite ninho, quando era bebê não adoçava , até hoje não , anão ser se faço pra gente daí dou, mas raramente.Acho que o que estraga tbm é a falta de limites. bjs e adorei.Venha visitar-me ec onferir que graciosa. bjs

Simone disse...

Cris, você sabe que sou diabética?

Fiquei aos 27 anos e os médicos me disseram que era super fora do normal pois essa diabetes tipo 1 costuma chegar até os 17 anos.

Meu pai é diabético tipo 2, minha avó e bisavó eram também, enfim, eu já sabia que tinha que cuidar e mesmo quando emagreci 10 kg em 5 dias ainda não percebi o que era...

Enfim, o negócio é ficar atenta mesmo. Sofia está no limite do peso e ela está na minha mira no que diz respeito à alimentação e exercícios físicos. rsrs

Bjs!!!

Genric Viagra disse...

Hola la diabetes infantil es peor que la de los adultos por que los niños no se pueden administrar los medicamentos solos y siempreva a necesitar de un adulto para q le ayude y no siempre el bebe va a dar sintomas de la enfermedad .

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tem mais disso

Related Posts with Thumbnails