Páginas

fevereiro 04, 2010

Coração de papel

Descobri a melhor forma de escrever aqui neste cantinho: contando histórias dos meus pimpolhos, como exemplo do que quero falar.

Meus dois filhos têm espermatozóides diferentes em sua composição. São filhos de pais distintos.
Até aí... Super contemporâneo.
O Alê, meu marido (lindo que eu amo) recebeu o Pepê de braços, coração e todo o resto abertos. A família dele também.
Foi coisa de Manuel Carlos mesmo.

O Pepê foi primeiro neto, sobrinho, filho de todas famílias. A minha, a do Alê e a do pai dele.
Isso quando ele tinha só dois anos. Aceitação plena, o Pedrinho teve desde cedo uma família completa. Mesmo que de papel, porque com a "família de sangue" do pai ele nunca teve nenhum contato até hoje.

Bom, ele é um menino super inteligente (um pouquinho além, mas isso é um assunto pra ooooutro post), super feliz, cheio de idéias e outros siricuticos infantis. O que prova que nada disso o afetou, pelo menos até hoje.

E tudo isso pra dizer que família a gente constrói!
Só a gente é capaz de mostrar pra esses pequerruchos o que é necessário pra ser feliz! A gente mostra e eles correm atrás! É só ensinar o caminho!!!

Mãe solteira, divorciada, viúva, ou outra modalidade, é possível ser feliz e fazer seu pitititico feliz também!!!
A única atenção que devemos tomar é não sair apresentando os candidatos a companheiros, a torto e a direito!

Levei alguns meses pra apresentar os dois e foi a melhor coisa que eu fiz. Porque eles se apaixonaram!
Pelo menos meu marido e meu filho se apaixonaram no primeiro olhar!
Foi lindo maravilhoso, agora imagine se não tivesse dado certo! Seriam três decepções: a minha, a do Pedro e a do Alê!!!!

Agradeço todos os dias por ter junto a mim, esses dois que eu amo tanto, que me amam bastante e principalmente se amam mais ainda! Claro, sem esquecer da "pecinha desse Lego" que nasceu pra unir nós três: o Joãozinho!

Aaaah! E quem vai entrar numa família quase pronta: CUIDADO!!
Seu amor deve ser o mesmo que o do primeiro dia!
A criança não entende sobre um amor que muda! Então se você se entregar, saiba que essa entrega será desejada e cobrada TODOS OS DIAS, pra sempre!


Então prometa só o amor que você pode dar!!!!!


É isso!
Um beijo e até.


Texto de Janaína.
Perdi os créditos das fotos, se souberem, agradeço se me informarem.

11 comentários:

c r i s disse...

Ai que lindo, Janaína! Linda história! Parabéns! E isso só prova que tudo é possível quando se ama de verdade! Bjo querida!!

Anônimo disse...

Jana querida,
tenho acompanhado o blog de vocês há algum tempo. Todos os dias entro e leio. E, com isto, aprendo muito. Hoje, não resisti: tenho que comentar.
Tenho uma menina linda, de 4 meses chamada Leticia.
Minha pequena foi fruto de um relacionamento rápido que tive com uma pessoa.
Ele não quis assumi, queria que eu abortasse, e eu o mandei passear.
Com 3 meses de gravidez, um ex me procurou, ficou comovido e voltou comigo dizendo que assumiria minha pequena.
Mas aí, quando ele foi comigo ao ultrasom, pirou. E passou a me torturar.
Com 6 meses de gravidez, eu tomei coragem e mandei ele passear também.
E só então passei a curtir minha gravidez.
A Leticia nasceu em setembro. É uma luz na minha vida. A melhor coisa que me aconteceu.
Super calma, linda, alegre. Ninguém diz que eu passei por tudo isto.
E agora, me inspiro nos seus textos lindos para ir aprendendo sobre o mundo destes pequenos que tornam nossas vidas tão especiais.
Beijos mil
Ana Paula.

Dreamlu disse...

Olá! Recomadres é blog recomendado esta semana no Jardim...bjs***

Janaína (Abacate) disse...

Cris, como sempre acompanhando oRecomadres! Obrigada, linda!

Ana Paula, querida! É bem assim que acontece, nós carregamos o duro fardo de botar pra correr quem não nos merece e isso é maravilhoso! Ter essa liberdade é ótimo!
Parabéns pela Letícia e pela força!
Obrigada pelo comentário e comente sempre que quiser!

Um à todas!

Luciana Casado disse...

Linda história, amigona!!
Voltou inspiradérrima para o RECOMADRES! ;)
Bjus, Lu

Elen disse...

A M E IIIIIIII

de paixão essa história...

vc tem o dom de escrever

abraços cheirosos nessa familia abençoada

Avental de História disse...

Olá! Gostei muito da sua história e da maneira tão pessoal de escrever e nos envolver...
Sou adotada e sei que sou muito amada pela minha família... tenho desejo de adotar, mas as pessoas insistem em opinar negativamente, é aí que me sinto ainda mais decidida; a minha adoção deu super certo... tenho mais 4 irmãos mais velhos e adoro-os e isso é recíproco nada pode mudar.
O amor é construído... e não simplesmente saguineo.Sei que posso amor um bebê que tenha nascido de mim... quem sabe um dia as pessoas possam entender e cuidar mais de si mesmas...

Bjos à sua linda família!!!
Mayra

Carol disse...

Jana, que lindo, que amor. So so so sweet!!!!
Na verdade isso só é possivel quando a química rola mesmo, não só como a parceira mas com os filhos tbém. Pois se não, acho que vc não ficaria tranquila em ver seu filho não aceitando seu novo relacionamentos.
Por exemplo, meu marido já foi casado e tal, tem 3 filhos do casado anterior. Os filhos já estão grandes, o mais novo já tem 17 anos. Mas pra mim é tão dificil aceitar eles vir morar em minha casa. Viveram sempre com a mãe em outro estado, agora querem vir para SP e morar conosco. Fico relutando com o coração mas...não consigo aceitar!
Acho que é porque agora, meu marido e eu temos a Isadora, pequena de 4 anos que tem tudo o que quer, e tenho medo de minha casa virar uma desputa, não ter privacidade nem mesmo pra discutir algo com meu marido...
Sei lá, penso melhor não aceitar e tentar fazê-los entender mais tarde, do que colocá-los em minha casa e fazer jus ao tal destemido MADRASTA! Affff.
Amei seu texto, acho que devia ser assim com qualquer família. Mas no meu caso, já não são mais crianças e eu, com 26 anos, cuidar de adolescente...socorro!
Bjos. Deus abençoe sempre sua família.

Dedinhos Lambuzados ! disse...

Olá ! Maravilhosa e importante postagem.O jeitinho que vocês apresentam os temas é muito gostos de ler. Concordo plenamente -família , felicidade , amizade se constrói: é trabalho de formiguinha,homeopático,delicado e constante.Bjs, Mammy

Andrea disse...

Lindo post cumadi, como sempre...AMEI!!!

Beijos

Roberta disse...

Nossa seu post tocou tanto em mim,tenho minha filha Sofia hoje com oito meses,uma verdadeira boneca,o pai não quis assumir passei por uma dura realidade,cada ultra,sozinha,os enjoos tendo que me virar até que minha princesa nasceu,cheia de luz,tranquila igual a um anjo
E cada dia que passa,eu vejo o tamanho do amor,e ligação de mãe e filha que tenho com a minha Sofia,passo para ela uma unica coisa amor,amor incondicional.
amei seu post,chorei de emoção.
beijos
Roberta

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tem mais disso

Related Posts with Thumbnails