Páginas

janeiro 29, 2010

Escola, a difícil escolha...


Chega um dia em que todas têm que tomar a decisão de colocar ou não o filho na escola. Algumas podem esperar até a idade limite outras têm que optar pela escola muito cedo. Particularmente, eu acho que quem não tem vovó pra ajudar, é a melhor opção. Na escola existem pessoas preparadas para cuidar de nossos pequenos, e empregados na maioria das vezes não estão, e afinal, amor e carinho é tarefa dos pais.


Mesmo não trabalhando fora, opção que fiz quando engravidei, optei por colocar meus filhotes na escola com 02 anos. Por serem os únicos netos e sobrinhos viviam num mundo de adultos e achei que deveriam ter contato com crianças. Então fui à escolha de uma escola. Moro em Santos-SP e há algumas boas e tradicionais escolas aqui e fui a cada uma delas. Em primeiro lugar me decidi que não queria uma escola pequena, onde só tivesse a pré-escola, optei por escolas que fossem desde o berçário até o ensino médio (antigo colegial, até isso mudou...). Achei que seria doloroso fazer o “parto” várias vezes, e assim minhas escolhas foram acontecendo.

Andei numa e noutra e percebi que o básico, ou seja, o conteúdo obrigatório pelo ministério da educação, todas me dariam o diferencial estava em como isso seria dado. Bem, cheguei no CARMO uma escola bem antiga e tradicional daqui, famosa por aprovar seus alunos nos melhores vestibulares do país, etc. Fui recepcionada e apresentada a escola e ao que ela oferecia: psicólogos de plantão, nutricionistas, seguranças, educadores especializados, câmeras que te colocam em contato com seu filhote no berçário, cursos extras, e mais uma infinidade de modernidades que fazem parte da escola. Passada essa fase de apresentação, fui pra próxima, já com a coordenadora da pré-escola e foi aí que tudo começou... o espaço físico da escola é enorme mas é todo dividido por faixas etárias (Carmito=berçário, Carminho=pré-escola, Carmo=ensino fundamental e Carmão=ensino médio) e então uma “tia” extratégicamente colocada, pegou meus filhotes pela mão e foi lhes apresentar a escola, enquanto a coordenadora me mostrava tranquilamente o resto, e o resto era simplesmente tudo: a escola tem ainda classes para alunos com necessidades físicas e mentais especiais que convivem harmoniosamente com os “normais”. Fui me encantando, meus filhos aprenderiam desde cedo a conviver com as diferenças e acreditem aprendem mesmo (eles têm que “ajudar” os amigos especiais em algumas atividades, incentivar em outras e fazem tudo isso de forma tão natural que não percebem a grandiosidade de seus atos), tem passeios para creches, orfanatos e asilos periodicamente e trabalham isso durante toda sua vida escolar de acordo, é claro, com a maturidade de cada ano. Percebi também que cada um era tratado como cada um, respeitando seu tempo, suas necessidades, seus talentos e seus déficits, etc.



E foi aí que eu me decidi. A escola seria uma continuação da minha casa, portanto, tinha que “pensar” e “agir” de forma parecida. Percebi que mais que a educação acadêmica (muito bem cuidada) eles têm como prioridade, formar cidadãos. Os valores como família, amigos, respeito e solidariedade são o alicerce dessa escola o resto tão importante quanto, vem junto de forma simples e organizada.


Foi assim que matriculei meus dois filhotes no CARMO e amamos aquela escola que faz parte de nossa família. Tudo é dividido, trabalhamos pais, educadores e alunos, todos juntos para realizarmos o sonho de tornar nosso mundo melhor. É claro que ensinam os valores de competição, mas de forma bem natural e saudável.


Não é fácil, eu sei, mas procura com o coração que você também vai achar uma escola bem legal pro seu filho e lembre-se que ali ele vai passar a maior parte da vida dele. No final, tudo dá certo, sempre dá!! E quando não der, muda, sem medo de ser feliz.





Beijocas,


Cris João



Fotos:  http://blig.ig.com.br/anielle/files/2009/10/bebe-lendo-livro.jpg ,  http://www.sdr.com.br/dicas/Futsalomon233.jpg e http://palavrasaovento.blogs.sapo.pt/arquivo/coracao.jpg.





7 comentários:

Luciana Casado disse...

Escolha muito difícil, Cris!
Eu só fui para a escola no tempo limite para entrar, a mãe não trabalhava e ficava comigo.
Sempre fui muito tímida, confesso que se tivesse tido contato com mais crianças poderia ter ficado menos tímida, mas não posso culpar a minha mãe.
Bjus. Lu

Simone disse...

Cris, qual é o blog da beth? tentei "tecendohistorias.blogspot.com" e não tem nada...

bjs!!

c r i s disse...

Oi Cris, decisão difícil, é sempre um parto mesmo, eu não tive a mesma sorte que você, com a minha filhota foram 3 mudanças, não vou dizer que aconselho fazer isso, mas se me perguntarem se me arrependo, seguramente vou dizer que não...pois hoje encontramos o seu lugar, ela está feliz da vida e a escola é ótima...E se eles ficam felizes, ficamos também...Bjo!

betty mello disse...

Concordo que a escola tem que ser uma continuação da casa e pensa e agir de acordo com a família. E não importa muito a linha pedagógica ( esta conclusão cheguei agora que o meu pequeno está na faculdade, rsrsrs !)Infelizmente as melhores faculdades do país são um...desculpe-me...engodo ! Hoje em dia a turma se mata pra passar na Fuvest e depois vem a decepção ... desde cedo precisamos -nós pais- preparar nossas crias para a VIDA , e escolher ( no princípio da escolaridade) uma instituição que não "atrapalhe" e nem "estrague" o que fazemos em casa.Não vou entrar em detalhes, meu filho teve que mudar de escola e sofreu com bullying, etc...mas isto é uma outra história e quero dizer que adorei o post. Bjs, Betty

betty mello disse...

AH ! Esqueci de dizer... apesar de tudo( o que passou da 2ª escola em diante) o meu Matheus é um rapaz fantástico,que só me traz orgulho e alegrias.Meu maior amigo, companheiro para o que der e vier. Por isso reafirmo Educação é EM CASA, INSTRUÇÃO é na ESCOLA ! Em tempo: parei de trabalhar antes dele nascer ( gravidez de risco,com mãe beirando os 40 na época...) e ficamos curtindo um ao outro até os quase 3 anos - quem puder...recomendo , foi ÓTIMO ! Bjs, Betty

betty mello disse...

Oia eu "dinovo"...Cris, passa lá no "Tecendo..." a turma da Cultura respondeu o meu e-mail, mas não vamos dar moleza, pois acho que estão "enrolando",como dizia minha avó "cozinhando em banho-maria". Bjs !

Ana Cristina disse...

Cris,
Que escola legal a dos seus filhos!
Aqui em casa é assim: até os 5 ou 6 anos de idade todos frequentam algum jardim Waldorf; sou apaixonada por esta filosofia.

Beijos, Ana

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tem mais disso

Related Posts with Thumbnails