Páginas

abril 08, 2010

Esse Tal de Rock and Roll...

Segundo os entendidos, o Rock é um termo abrangente que define o gênero musical popular que se desenvolveu durante e após a década de 1950. Isso eu não sei, mas sei exatamente o dia em que “ele” resolveu aperecer por aqui. Há um ano meus filhos resolveram aprender a tocar Guitarra, o que eu achei o máximo e dei a maior força. Coloquei os dois num conservatório e lá foram... com nossos horários apertados por conta de outros cursos livres, pedi ao professor que viesse em casa dar as aulas e isso foi a melhor coisa que já fiz. Sempre no final do dia, já no conforto de meu lar, cada um por uma hora sózinho com o professor, adoro uma mordomia. Tirando o fato de que meus vizinhos não devem estar entendendo nada sobre o perfil de “minha” nova amizade (o coroa tem piercings no nariz, orelhas e sobrancelhas, tatuagens enormes pelo corpitcho e um cabelo levemente “moicano”, mas super legal e segundo os meninos, “manja pra caramba”, até aqui tudo bem normal.


Sábado desses, estava eu e meus três mosqueteiros decidindo o que faríamos no domingo, até que meu pequeno sugeriu: “A gente não pode chamar uns amigos?”, “Quem e quantos?” –perguntei, só por perguntar... “Os de sempre!!” – isso significa: 8 super-mega-híper amigos que cresceram juntos desde os 02 anos, e eu disse tudo bem, afinal recebemos bem 50 pessoas. Levando em conta as duas dragas que tenho em casa, resolvi abastecer a casa com todas aquelas guloseimas que adolescentes gostam.(Contem comigo 8 amigos + meus 2 filhos = 10 adolescentes)


Chegou o domingo e maridão empolgado começou a preparar o churrasco e a galera começou a chegar. Não eram mais aqueles pequeninos que os pais traziam, e acabavam ficando, com sunga e bóias nas mãos, eram homens munidos de guitarras e amplificadores, todos com os cabelos até os ombros num estilo “estôpa suja” igual aos meus filhos e camisetas pretas. Novamente, resolvi perguntar só por perguntar: “Não trouxeram sunga??” “E a mãe não quis subir?”, e logo entendi a furada em que eu me encontrava: “Não a gente vai fazer um som!!”


Começaram a ligar os amplificadores, pedaleiras e guitarras e violões e eu só na espreita...resolvi abrir bem as janelas pra ver se o som se encontrava com o barulho do mar e ninguém reclamava e tentei botar ordem no barraco: “Meninos, numa escala de 0 a 10, os amplificadores podem atingir no máximo o volume 5!”, todos fizeram uma cara e um resolveu: “Tudo bem, lá em casa não pode ser mais que 2.” Nessa hora me senti muito generosa.


Eles começaram então à fazer o tal do som, mas primeiro tinham que “afinar” suas respectivas guitarras e era um tal de blaeimm pra cá e pra lá que eu achei que ia enlouquecer. Nesse momento pensei: Se as mães do Jimi Hendrix, Angus Young e Mark Knopfler sobreviveram, porque não eu??


A essa altura marido “gritou” que o churrasco estava pronto num tom acabando com a farra, e eu que tantos anos comi linguiça enxarcada pelas guerrinhas na piscina, senti saudades daqueles dias... Depois de alguns elogios ao churrasco do Tio, eles voltaram a fazer barulho e marido perguntou se era aquilo que eles aprendiam... Misturado a isso tudo, ainda tinha o fato de falarem numa altura acima dos Decibeis permitidos. Meu mais velho então gritou ainda mais: “Mãe e Pai, entra que o SHOW vai começar!”. Senti um arrepiu na espinha, olhei pro marido e falei: “Os meninos precisam de uma platéia...”


Gente, o barulho começou a tomar forma, e como mágica começamos a ouvir música. Calma, não era nada do tipo Beatles, mas dava pra ouvir uns clássicos do mais puro hard rock, se é que isso é possível. Harmoniosamente, cada um solava de uma vez, enquanto os outros faziam a base, e foi um tal de SANTANA pra cá, AC/DC pra lá, com pitadas de OZZY OSBOURNE e outros que eu nem sei o nome mas já ouvi falar...


Como toda festa na minha casa tem hora pra começar mas não pra acabar, ficamos o domingo inteiro ouvindo esse tal de Rock and Roll intercalados com muito sorvete. Por fim, até o marido tava balançando o pézinho. Ah, descobri que cabelos grandes são parte essencial pra se tocar bem uma guitarra, pelo menos nessa fase.


Saldo: Foi fantástico ver que eles cresceram, ninguém nem olhou pra pobre piscina, não fiquei com a casa toda molhada, só um pouco desarrumada pela destreza que só os adolescentes têm (todos já medem 1,70), todos exageram no perfume, percebi que depois dos 10 anos eles perdem a “mira” do vaso sanitário, mas todos guardam em si um jeitão daqueles tempos de pequenos, constatei que eu adoro essa molecada, que eles estão se tornando homens fantásticos, com algumas características dos meninos que foram e se tudo continuar assim, teremos uma galera super do bem tentando salvar o mundo. E as meninas? Essas eu nem ouvi falar, acho que a música ainda é mais interessante... Ainda relembramos umas histórias de domingos passados aqui em outra época e foi maravilhoso. Descobri na hora de levá-los pra casa, isso já depois do Fantástico, que preciso de um micro-ônibus se não quiser continuar fazendo várias viagens.


No final de tudo, a melhor parte: A cara dos meus filhos de alegria e gratidão pelo melhor domingo que eles já tiveram, fora que rende histórias até hoje. Na hora de dormir, agradeci à Deus os vizinhos generosos e “surdos” que tenho.


É, cada fase é uma fase, e todas são igualmente ricas e prazerosas!!


Beijos,


Cris João





Fotos: fralda, babador, bebe e coracao.

15 comentários:

Andrea disse...

Irma, acompanho de perto e imagino a cara de vcs vendo e ouvindo isso tudo...e te lembrar que isso e' so' o comeco...rsrsrs
O Murilo ja conhece bem este tal de rockn roll, outro dia "eu" era a guitarra dele, ainda bem que eu ainda posso ser....imagina ele querendo imitar os primos...uiui

Luciana Casado disse...

Saudades de vir aqui, meninas!
E nada melhor do que chegar aqui e ver um texto super show!!
Sabe Cris, eu acho que já fiz dessas lá em casa hehehehe mas com lambada e coisas do gênero, hehehee, como os pais sofrem hehehehe
Bjus, Lu

Samille disse...

ah que lindo..vejo minha mãe contando ao ler vc.
É gostoso né, meus pais adoram o depois, as histórias, ver a gnt feliz e nunca tinha pensado no angulo de pais.

até hj fazemos isso na nossa chácara e de nossos amigos, gosto mto de estar em família.

qut ao cabelo passa assim q entrar na faculdade ;p

E é vdd qut ao microonibus, cuidado que tem uma fase que chega a onibus coletivo rsrs e dps reduz ao carro de novo, mas só depois dos 25 :p

bjao meninas!
sam

Rita Vieira disse...

Ahahaha...muito maneiro esse post...se fosse minha mãe a guitarra teria cantado na minha cabeça! rsrs..e confesso que não sei se tenho toda essa paciência e tolerância pra barulho não...principalmente sons estridentes como de guitarra, eu acho bonito, até a quinta música! rsrs...depois, só bem baixinho!

Parabéns, vc é uma mãezona mesmo!

Beijo, xará de aniversário! vai lá no blog que tá tendo sorteio!

Beijinho!

Amanda Luna disse...

oiii Tem selinho pra vc no meu blog, passa lá pra pegar tá?
beijocas com carinho

sermulhereomaximo.blogspot.com

Mãe Mochileira,filho malinha.. disse...

Oie!!adorei o texto..agora que parei para pensar no lado d aminha mãe nesse aspecto,acredita??é que meu irmão teve uma fase dessas, ele tinha uma banda de rock, e a casa ficava cheia, os ensaios, a bagunça..voltei no tempo agora..e como sou besta para chorar, cá estou eu com lagrimas nos olhos, pensando que daqui a um tempo,quando eu menos esperar vai ser o meu pequeno que não vai mais deixar brinquedos espalhados pela casa..logo logo vai encher a casa de amigos, e pedir o carro emprestado...
é, o tempo passa.e so nos resta aproveitar ao maximo cada fase,pois cada uma é maravilhosa!!!!
parabens sincero pelo post,me tocou de verdade! bjs e boa quinta feira!!!

Paual Belmino disse...

oi que lindo, os filhos crescem e com eles nosso amor e paciência compreensão não é? Fico imaginando comos erá minha doce Alice, que gostos terá, pq ainda agora adora elitura e poesia, cantar e depois? aiaiaiai bjsssssss

Poesia do bem

KINHA disse...

Olá

Vim fazer uma visitinha e agradecer a sua. Seu blog continua lindo!
Já sou seguidora. Obrigada por seguir.

Beijo

Santa Imaginação disse...

Olá! Esse post acho que cada um que tem filhos já passou ou passará rsrsr, mas olhe é bem melhor aguentar tudo isso. Os meus também, um toca guitarra e outro teclado...tinha dias de quase surtar escutando a mesma música o dia toooodo!!!Agora esse ano estou só com um de 16 em casa o de 18 foi fazer faculdade fora e dá uma saudaaaade imensa dessa confusão!!!
Bjs
Zu

café e chocolate disse...

Oi!Prazer em te conhecer! seu blog é Mara! Sobre o post muito legal! passa lá no meu espero sua visita!

Roberta M. disse...

Oi Cris amiga querida, que delicia de domingo, as vezes a gente se preocupa muito com os vizinhos, o que vão pensar, achar, se incomodar e podamos nossos filhos de curtir um domingo inesquecível e memorável como esse, sabe, as vezes vale uma pequena transgressão do bem!! beijocas

c r i s disse...

Cris, adorei o texto, ri e me emocionei ao mesmo tempo...q delícia! Imagino o orgulho deles por ter pais tão legais!! Bjo!!

Ana Cristina disse...

Cris!!! Que dia delicioso...Será que meu dia de rock'n roll vai chegar logo?
Obrigada pelos posts no meu blog. ADORO!!!
Beijo e bom final de semana.

Ana Cristina

Cristina João disse...

Olá Meninas,
Obrigada pelo carinho de sempre, vocês são demais!!!

Andrews, é isso aí maninha, isso é só o começo...Beijos.

Luciana Casado, amiga, estávamos mesmo com saudades mas a gente entende que voltar de férias é assim mesmo. Me deu uma nostalgia essa coisa de lambada, lembra?? Meus filhos certamente não sabem o que é isso...Beijos.

Samille, os Pais são todos iguais mesmo, a gente fica feliz por vê-los felizes, é assim que foi, que é e que será, sempre...Beijos.

Rita, pintete querida, depois que você virar mãe a paciência torna-se uma característica constante, aliás sem ela não dá... já tô lá no sorteio que não sou boba...(http://pintomasnaobordo.blogspot.com), Beijos.

Amanda, OBA, tô indo lá pegar!!!Obrigada pelo carinho...Beijos.

Mãe Mochileira, a gente volta mesmo no tempo e vê as histórias se repetindo, alguém já disse que é dessa forma que os filhos imortalizam os pais...Beijos.

Paula, com a mãe que Alice tem, tenho certeza que será muito feliz, que no final, é o que importa....Beijos.

Kinha, obrigada pela visita, volte sempre que puder, adoro seu BLOG...Beijos.

Cristina João disse...

Oi queridas amigas,
Voltei pra continuar os agradecendo o carinho de vocês.

Zu, Santa Imaginação, estou me preparando para essa nova fase de começarem à partir que cada dia fica mais próxima, e já começo a sentir saudades...Beijos.

Café e Chocolate, Obrigada pelo carinho, seu blog está cada vez melhor, Beijos.

Oi RÔ, esses acontecimentos aqui em casa são rotina, adoro uma bagunça, tem coisa mais Glamour que curtir os filhos até não aguentar mais?? Beijos.

Oi Cris, japa querida, acho que eles têm conciência sim dos pais que têm, não sei se somos extamente o que sonham mas no esforçamos bastante...Beijos, também te gosto muito, viu?!

Ana Cristina, você é uma mulher de muita sorte, com quatro filhotes você já tem a banda completa é só começar a organizar, quem vai tocar o quê....Beijos.

Beijos à todas, e obrigada!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tem mais disso

Related Posts with Thumbnails