Páginas

fevereiro 24, 2011

Quase uma Ovelha Negra...


Já falei que tenho dois príncipes??? Claro né... E são mesmo! Modéstia realmente é uma qualidade que não possuo. Eles são dois meninos lindos por fora e por dentro, são do bem, bem nascidos e bem criados, queridos por todos os nossos amigos, alegres e bem resolvidos e embora esteja na tal adolescência, até que são bem tranqüilos. Vivem grudados com a família, são o melhor amigo um do outro, não saem sozinhos ainda (graças a Deus) e se tudo continuar indo nesse ritmo passaremos por essa fase sem grandes problemas. Tudo bem, eles têm pais bem antenados, abertos e presentes (legais eu diria e não abro mão disso), o que ajuda um monte, mas eles fazem bem a parte deles até o capítulo 5. (leia o post “Cadê o Manual?”).

Meu Marcus (13) é meu Astro-Boy. Um menino que nasceu pros holofotes, pro glamour e pros flashes. Já tentou a carreira de modelo (ele ainda me mata por contar esse segredo), se achava o próprio Reynaldo Gianecchini, hoje sonha com o maravilhoso mundo do Rock. Tem um jeito leve de ver e levar a vida que é invejável, uma franqueza que machuca aquele tipo de pessoa que sabe à que veio e aonde quer chegar, porém não gosta definitivamente de pegar no pesado! Tudo que requer muito esforço, trabalho, paciência e dedicação, não é com ele.

Desde muito pequeno, com 02 anos, demonstra claramente que detesta ir à escola, e como diz a tia Andrews, digamos que ele tem seu próprio jeito de estudar e aprender, praticamente um autodidata.

Gente, desde cedo nossa vida no que diz respeito à Escola e à Matemática é um inferno. De um lado tenho o meu pequeno gênio e de outro, uma tranqueira deliciosa e preguiçosa que aprendeu o que eu mais temia: segundo ele, pra que se matar o ano todo pra tirar notão se no final, a gente assiste a duas aulas de recuperação, faz umas aulinhas particulares, pede ajuda pro irmão e pronto, passa de ano. Fora que se a média da escola é 6, tirar 10 é um verdadeiro desperdício. Confesso que às vezes argumentar com ele é bem difícil, ele só vai se quiser, tem uma personalidade muito forte. Aí agora é assim: você quer, então tem que fazer isso ou aquilo!!

Depois de muito sofrer com isso, me questionava onde foi que eu errei e tentava freneticamente descobrir um método milagroso que despertasse entusiasmo pelo ensino acadêmico, eu percebi que cada um é do seu jeito, tem seus próprios meios de chegar lá, ele nunca repetiu o ano, tem um boletim acima da média só que sem esforço, com muita preguiça e às vezes com umas aulinhas particulares... Descobri que ele tem seus talentos, todos temos, ele tem espírito de liderança, personalidade forte, sabe bem aonde quer chegar e um caráter e senso de justiça irretocável, coisas que nem sempre se aprende na escola e esses talentos serão tão importantes quanto o aprendizado acadêmico e esse dá pra ele correr atrás do prejuízo em qualquer tempo.

Sinto muito por ele, que é um menino tão inteligente quanto seu irmão, porém por preguiça, está deixando de aprender de fato coisas que lhe farão falta num futuro próximo, mas aí ele que corra atrás. Nunca quis ou exigi que meus filhos fossem os primeiros alunos da escola, é claro que me orgulho muito que um seja, mas não fazer o básico é demais, às vezes me irrito muito com ele... que com seu charme me amolece rapidinho e tudo consegue, outro talento dele...

...Assim tem sido e assim caminhamos rumo à Faculdade... quem sabe!?!?

Beijos,
Cris João.

6 comentários:

Carol Garcia disse...

entrei num túnel...
direto pro futuro.
kkkk
bjocas

Anne disse...

Nossa, Cris.
eu na minha infinita crueza de mão de bb não tenho a menor idéia do que vc sente.
posso pensar em mim com 13 anos, é mais fácil.
eu achava que sabia tudo....
mas tb nunca correspondi às expectativas da minha mãe. nenhum filho corresponde, acho.
dureza, boa sorte e lindo texto!
(se te conforta eu sou uma retardada em matemática, aprendi só para passar nas provas, e tá tudo bem comigo :)
bjo

Anne disse...

MÃE DE BB... :)

Chris Ferreira disse...

Oi Cris,
lendo seu post fiquei pensando na minha Sofia. Extamente assim. Fala claramente que não gosta da escola. Que vai aprender inglês sozinha vendo os DVDs em inglês. Que não precisa de aula de natação, é só eu deixar ela ir na piscina que aprende a nadar sozinha. Mas é super esperta. Inteligente aos extremos. Vamos ver como vamos seguir.
Vou confessar, eu também achava um desperdício consumir tempo estudando para tirar dez. Oito estava o suficiente e era melhor aproveitar o tempo brincando.
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Tita disse...

Até pensei que era um texto falando de meu filho,que tem 13 anos,vive pra música,toca guitarra,e detesta ir à escola...diz que não quer perder tempo com textos,e pra quê estudar história??Ele diz que pra que saber de gente que viveu em séculos passados?O que isso vai mudar na vida dele daqui alguns anos???Tb me questiono aonde foi que eu errei,mas assim como vc,vi que cada um tem seu próprio jeito de pensar na vida,e que eu não poderei me intrometer muito,apenas mostrar pra ele um bom caminho,o resto vai ser só com ele.

Daniele disse...

rsrsrs ai ai ai...

eu ainda estou com um príncipe só, o outro eu não sei se será principe ou princesa... mas fico pensativa sobre como será meu príncipe com os estudos, até agora ele tem se mostrado mais para geniosinho, mas que eu imagino como vc deve ficar qdo ve seu malandrinho dando os famosos 'pelés' no estudo né?

beijocas, pensa assim, até hoje, quantas vezes você usou uma equação de segundo grau ou teve que dividir 1277 por 0,756 sem ter uma calculadora por perto?

rs

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tem mais disso

Related Posts with Thumbnails