Páginas

dezembro 17, 2010

Da série: TRICOTANDO COM AS RECOMADRES....


... por Cris Isobe, do blog miscelânea, www.crismiscelanea.blogspot.com


A Cris é, como todos já sabem, uma amigona aqui das RECOMADRES, tipo “alma gêmea” de vidas passadas, e eu, sou fãzoca dessa Japa que é pura alegria. O “causo” de hoje é daquelas histórias que começam muito tristes, desesperadoras até, mas que têm FINAL FELIZ e que ao final, você fica com a certeza de que reclama demais, pede demais e agradece de menos...

13=4+2+7 

13 é o número de anos completados pela minha pipoca maior no último dia 15, comemorados neste fim de semana com uma memorável noite do pijama para algumas ótimas amigas, pelo menos 4 a acompanham desde o berçário, apesar de não estudarem mais na mesma escola. Elas inventaram boa parte das brincadeiras como um desfile de pijama, e manicure com esmaltes super coloridos, uma cama enoooorrrme, composta de vários colchões para rir até chorar madrugada a fora e conversar até não ter mais assunto (coisa difícil!). Claro, que casos de terror ainda fazem parte do roteiro tirando o sono e lembrando das minhas próprias noites do pijama, nem um pouco planejadas e  nunca em aniversários, em comum, a animação e alto astral.

A festa foi simples, apenas para familiares, as amigas e vizinhos. O céu começou estrelado, mesa no quintal, churrasco a pedido da filha, alguns petiscos e muita conversa.

Aos
4 anos, exatamente 1 semana depois do seu aniversário, nossa filha foi diagnosticada com Leucemia. Após várias idas e vindas ao médico, pois não foi fácil o diagnóstico. Primeiro foi tratada como anemia, apesar disso, só foi piorando...aparecimento de petecas (manchas roxinhas pela pele), como se fossem pequenas batidas...falta de ar...dores musculares intensas...
Apenas com um exame específico, num hospital específico, foi possível saber o diagnóstico.
E foi, apavorante...claustrofóbico...
Foram 2 anos de tratamento quimioterápico, 2 anos de nossas vidas suspensas. 6 meses de tratamento intensivo...quimio um dia sim outro não...algumas intercorrências...internações...febre...corrida ao hospital de madrugada...noites sem dormir...sustos...cabelo caindo...outras crianças...outras mães...outras histórias...

Ela teve alta em março de 2003, um renascimento, com certeza. Aniversário muito comemorado fora do hospital. Sensação de paz, alívio, gratidão...mas também hora de racionalizar vários sentimentos estacionados nos últimos 2 anos. Eu estava grávida do pipoquinha, tentando muito apoiar minha filha, eu e marido tentando também nos encaixar em uma vida normal...
Os anos seguintes foram cansativos, cheios de sentimentos contraditórios, solidão, raiva, felicidade, gratidão, frustração, dúvida...todos batendo a sua porta na mesma hora esperando resoluções...
Não quero fazer deste texto um desfiar sem fim de meu rosário, nem ficar reclamando xurumelas do passado, apenas que durante a festa... ao redor da mesa...especialmente no parabéns e após ele, no meio dos risos e da confusão delicada, vi nos rostos de cada um e no meu próprio, o pensamento era um só, nos entreolhamos ternamente adivinhando o que o outro pensava...lembramos de nossas dores, nas dores dela, naquele tempo e o quanto somos abençoados por tê-la para mais um aniversário. Durante aqueles segundos nos emocionamos com a pessoa linda que ela carrega dentro de si, no seu riso, seus gracejos...

Outro dia li em uma antiga agenda, por sinal, a agenda que eu usava para marcar os dias de quimio e qual remédio ela teria que tomar a cada dia, pois eram muitos, e no meio deles havia um texto em que dizia: '...tudo isto marca como cicatriz, nem de todo ruim, pode vir a ser o charme, o diferencial, o viver melhor, a escolha certa...'
Trata-se de viver, simplesmente e puramente viver...

Bia, teve leucemia aos
4 anos, 2 anos de tratamento, 7 anos de vida após o câncer, 13 anos muito bem vividos e pronta para muito mais!


...entenderam a mensagem embutida nessa história contada de uma forma tão franca?? A gente passa a maior parte do tempo reclamando, pedindo e etc., e até esquece de agradecer o precioso tesouro que nos foi confiado: nossos filhos e sua saúde. Nesse clima Natalino, é hora de agradecer!!! À nossa querida Cris Isobe, muito obrigada por dividir com a gente essa lição de vida e um pouco de sua sabedoria oriental...
“Dômo arigatô gozaimasu 「どうも ありがとう ございます」: Muito obrigado.”

Beijos,
Cris João.

7 comentários:

Roberta M. disse...

Ai, essa história da Cris sempre me emociona muito, e sempre fico feliz em saber que o final é uma linda menina pipoca!!! Beijocas queridona

c r i s disse...

Oi Cris, sempre me emociono quando leio este texto, não sei, acho que quando vc se distancia, encherga outros ângulos...eu nunca me esqueço de tudo isso, e o quanto sou abençoada, e mesmo nas horas complicadas, é o que me fortalece, meu porto seguro, minha família, meus pequenos...aqueles que a gente sabe que se a terra ruir e as coisas não se concretizarem da maneira que você espera, eles estão lá, se pendurando em teu pescoço e lembrando a que você veio neste mundo, mesmo que tenha sido só prá isso, vê-los bem e saudáveis é todo presente de Natal!! Bjo enorme e obrigada novamente pelo carinho e pelo lembrete, estava precisando!! Bjobjo...adoro vocês...

Vida na Europa! Dia a dia e curiosidades disse...

Emocionante história, que Graças a Deus tem um final feliz!
Devemos agradecer sempre pelas bençãos que recebemos...
Bjo grande e ótimo Natal a todos!

Nine disse...

Esse texto me emocionou, tanto pela descrição da cena em volta da mesa de aniversário, onde pude "ver" um filme passando na minha cabeça, de todos os momentos vividos até ali, quanto pela mensagem de agradecimento pelo anos vividos ao lado dos filhos, pela saúde readquirida e pela simples alegria de se comemorar mais um aniversário.

Um beijo Cris!
Nine

Mãe Mochileira,filho malinha.. disse...

Linda,linda ,linda historia..
eu sempre quando venho aqui no Recomadres eu invariavlemente choro..
choro de emoçao,choro com a alegria de outras pessoas aqui partilhadas,choro de emoção,por desencavar lembranças mt intimas minhas,ou mesmo certos anseios do futuro,meu e de quem amo...

E dessa vez ,não poderia ser diferente..acho que nós mães, naquela hora mágica em que nosso filho(a) sai de nossa barriga,Deus na mesma hora nos injeta um tipo de substancia magica, única,aquela que só nós mães temos,aquela capacidade de viver,sentir ,respirar a vida de outro ser como se fosse nossa..de lutar por td e por todos,de faze rqualquer coisa por aquele que a gente nem conhece direito,mas ja ama mais que a propria vida...
E vendo a historia dessa mãe, não tem como n sentir na pele cada tensão,cada momento dess aluta..e hoje,mais que td ,cada segundo de alegria ,do sabor da batalha ganha!
;-)
ser mãe é magico,é divino..
obrigada amigas do Recomadres..vcs trasnpiram a palavra MÃE na mais pura essencia...
sou fã daqui e vou continuar sendo,sempre..
beijos,um final de semana PERFEITO para td mundo...
;-)

Bibiani Mesquita disse...

Que história mais linda!
Me emocionou demais! Principalmente porque me vi um pouco nela. Claro que de uma maneira bem distante, mas também passei por problemas de saúde com minha filha do meio, que completa 6 anos agora na segunda, dia 20. E todo aniversário dela também me passa tudo isso pela cabeça... Tudo o que ela já passou e o que já passamos em prol de sua saúde.
Não é fácil.
Parabéns ao Recomedres e parabéns à Cris e à pipoquinha dela pela supervitória!!!
Beijos ;)

Dany, Danielle disse...

Uau. Que história!
O que posso dizer?
Familia iluminada.
Parabens multiplicado por 13.000!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tem mais disso

Related Posts with Thumbnails