Páginas

novembro 30, 2009

O calor e o balde

Um calor de matar sagui a seco.
Um verão prematuro que insiste em aparecer acompanhado de uma banho de chuva.
Duas crianças sedentas, entediadas e saudáveis, prontas pra entrarem em ebulição.
O que fazer?
Não moro na praia como a Cris, e nem num prédio com área de lazer como a Andrews.

Moro num prédio sem piscina, sem parquinho e sem monitor de recreação! Aaaaah!
Aí veio o mais gostoso, a nostalgia. A saudade das tardes quentes na casa da minha vó.
Banho no tanque! Huuuum! De calcinha e tudo!
Quando chovia, o banho era de balde no banheiro mesmo. E esses eram os melhores!

Por que não?
Por que sim!
O João toma banho no balde há muito tempo. Banho mesmo! De higiene. Uma maravilha retrô nos tempos modernos. Há quem chame de ofurô, mas prefiro mesmo o velho balde!
Mais barato e pessoal.


Aqui temos 2, o de limpeza e o do João.
Com água morninha, um irmão grandão do lado fazendo gracinha, o calor indo ralo abaixo com a sujeira e a alegria tomando conta da galera!

Final de banho, um jantarzinho levinho, um beijo e boa noie crianças!


Vai a dica: banho de balde, ou ofurô de criança como preferirem. Sem limite de idade. Ou até caberem.

Um beijo e até.


Escrito por Janaína
Foto: Anne Geddes e Globo

novembro 27, 2009

Cris e Plantinhas de estimação.



Em tempos de vida corrida e tempos de apartamento nem sempre podemos satisfazer a vontade dos pequenos de ter um animalzinho de estimação. Resolvi meu problema, pelo menos momentaneamente, com uma plantinha de estimação. Cara a idéia é essa de cada um ter a sua, ter que plantar, cuidar, regar e tudo que elas precisam. Acreditem desde pequenos eles podem, querem e conseguem cuidar dos outros. Meus filhotes plantaram ainda muito pequenos, há uns 10 anos atrás, um pé de tangerina (com os próprios caroços) num vaso. A bicha foi crescendo e já vou ter que trocar de vaso pela quarta vez, já é quase uma árvore, que vem crescendo, se desenvolvendo e um dia vai dar frutos junto com eles. O mais legal nisso tudo é que todos da casa podem participar, cada um planta a sua, pode ser pequenininha, pode ser grandona, a casa vai ficando toda colorida, cheia de vasinhos e as crianças vão exercitando de forma concreta a responsabilidade, solidariedade e respeito à Mãe Natureza.


Uma dica: feijão nasce até em algodão molhado, lembra das experiências da escola? O melhor de tudo: cresce muito rápido e você pode ver a satisfação do seu filhote mais depressa. Corre, tá esperando o quê? Quem sabe nossos filhotes, futuros jardineiros e paisagistas não conseguem salvar o Planeta? Certeza mesmo, é que serão pessoas melhores!


Beijos,


Cristina João

Fotos:http://4.bp.blogspot.com/_gQf3pC0ttuo/SidU8kWQqBI/AAAAAAAAB5I/xszzVHr4utc/s400/Crian%C3%A7a+com+planta+(+tudo+em+branco+-+lindo+).bmp e http://webdemais.com.br/wp-content/uploads/2009/10/regar_planta.jpg.

novembro 26, 2009

À crianças que NÃO sejam filhas do Roberto Justus


De grão em grão a galinha enche o papo.
Economizar, essa é a palavra.
Desde pequenos, nossos gurizinhos devem aprender a juntar, guardar, economizar o pouquinho pra termos o bastante.
E como fazer? Quando fazer?

Os meus foram entregues sem a bula. Sem o manual de instruções. Um apena! Tudo aqui é feito na base da tentiva.
Tentamos, se der certo, bora pra próxima fase. Se não der, voltamos e tentamos de outro jeito. E assim foi feito com a mesada do Pedro.
Quando ele fez 7 anos, começamos a dar uma mesada. R$5,00 por mês.
Ele pode fazer o que quiser! Inclusive gastar tudo de uma única vez.
Maaaas... Haverá consequências. E consequências naturais, que nada têm a ver com pais bravos ou estremistas.
Um exemplo é que se gastar tudo no dia seguinte que receber, passará o resto do mês sem dinheiro. Se quiser comprar um joguinho de R$15,00, vai ter que esperar mais um pouco porque não economizou.

Aaah! E não pára por aí.
Toda semana era uma borracha, um apontador, etc. Resolvi o problema, taxando os materias aqui em casa. Dou todos os itens, conforme a lista de material e guardo os sobressalentes.
Perdeu? Só entrego mediante pagamento. Não vendemos fiado. Os valores são apenas simbólicos, mas causam um efeito e tanto numa mesa de cinco reais.
Pra dar mais certo, é importante que a mesada seja dada fracionada. Em moedas pequenas.
Aqui tá indo de vento em popa. A compra de Hot Wheels  caiu quase 100% (ele tá indignado com o preço do carrinho), no primeiro semestre foram 3 borrachas, nesse apenas 1 compra. Croc? Que absurdo, o ano todo pra comprar um, e se estiver na promoção!!
Salvo caso em que o material acaba com o uso, troco o velho pelo novo. É assim, ou compra. A reincidência também aumenta o valor do produto.

Traumático? Nem um pouco! O cara cresce sabendo que as coisas vem de algum lugar pago por alguém.
E embora eu queira tê-los sob minhas asas, a mãe dele não é a galinha dos ovos de ouro!

Aíííí... Lembrando que estamos falando de uma criança, ele também tem um cofrinho/porquinho ou porquinho/cofrinho que vai guardando moedas dadas pela vó, tia, padrinho, etc. A abertura é feita em todo aniversário e ele usa o valor pra comprar um presente à escolha dele.

Acredite! Confie no seu pimpolho. Só assim ele vai ter o incentivo necessário pra acreditar em si próprio.
Apostando nisso, tenho certeza que logo mais, serei mãe do dono da Vale.

Um beijão e até.

Escrito por: Janaína
Imagens: Cifrão e Ovos

novembro 25, 2009

Onde abre a portinha?

Ai, ai... Nunca me imaginei chegando nessa hora. Preferia mudar de assunto e nem pensar!E ela chegou!
De onde vêm os bebês?
Da sementinha, claro!
E quem cololou a sementinha?
O papai, é óbvio!
Como?
QUÊ? ÃH?! OI!

Foi assim que essa questão veio à tona aqui em casa com o Pedro! Ainda mais o cara sabendo que a família se formou quando ele já tinha nascido!!! Huuuuum!
Sinceramente, a curiosidade dele morreu aí, pelo menos até ele ler este post.
E conforme meu queridíssimo doutor João disse: "Respondas as perguntas, apenas. Não ultrapasse com nenhuma resposta!"
E está dando super certo, vou aprofundando conforme ele pergunta... Uffa!!!

Lembrei da cegonha e cositas más. Aí lembrei que durante meu chá de bebê (da primeira gravidez), o João Vítor Olhos Super Azuis, na época com 3 aninhos me perguntou entre um presentinho e outro: " Tia, onde abre a portinha pro Pedro sair?
Quase o Pedro nasce ali, de tanto medo que fiquei em responder...
Mostrei o umbigo e disse que a chave, só o médico tinha pra abrir ali. Em beijo e vá procurar sua mãe!!!!

Não é fácil!
Com os dias de hoje, essas cenas quentes (ai, ai!) na TV... A galera pergunta mesmo! E-TE-MOS-QUE-RES-PON-DER!
Isso faz com que eles cresçam acreditando e confiando em nós pais.
As primeiras pessoas que virão à mente pra serem questionadas e solicitadas serão aquelas que deeeesde pequenininhos nos ensinaram com a verdade.


Um beijo e até.

Texto de Janaína
Fotos: Cegonha Fisher-Price e http://www.meninosrabinos.com/Principal/images/fechadura.jpg

novembro 24, 2009

Cris e Se sujar faz bem

A Cris é da família! Da família de sangue (irmã) da Andréa e minha de coração (uma prima de faz de conta). Mãe do Matheus - 13 e Marcus - 12 (assim mesmo com U).
Ela é mãe como a gente, que sofre, que se descabela, que quase enlouquece, mas que não trocaria por nada tudo isso.
Mãe comadre, que divide as experiências e adora aprender com outras mães.
Ela vai aparecer aqui, não só como seguidora fiel, mas como colaboradora com textos ótimos, como esse abaixo.

Cris, seja bem-vinda!!!

 Não, não é propaganda de sabão para lavar roupas!


É real, toda criança deve crescer com liberdade e se sujar muiito, além de gostoso é saudável.

Toda mamãe com M maiúsculo, adora ver seu bebê limpinho, engomadinho e se possível, passado à ferro, todo de branco (eu adorava!).Mas atenção ao que dizem os especialistas: “Os pequenos necessitam viver o caos para encontrar a ordem e explorar o mundo que os cerca, um processo no qual não costumam ficar muito limpos, mas no qual começam uma busca que os leva a consolidar sua identidade. A brincadeira é a atividade primordial na infância de todo ser humano. Através desta atividade se desenvolve o amadurecimento, aprende-se, vive-se o risco, cria-se e transforma-se a realidade. A sujeira que atinge as crianças da cabeça aos pés quando brincam ou fazem esporte, fortalece seu sistema imunológico, aguça seus reflexos, melhora a aprendizagem e favorece que interajam com seus semelhantes.Algumas atividades lúdicas contrárias à higiene como pular em poças d’água, caminhar pela lama, subir em árvores, brincar com areia, remover a terra para procurar insetos, descobrir "um tesouro" ou deslizar sobre a grama, fortalecem o sistema imunológico das crianças, desde que não representem perigo, certamente.Além disso, sujar-se é a única forma com que os pequenos possam se concentrar nos verdadeiros objetivos da brincadeira e do esporte: explorar, sociabilizar, aprender, concentrar-se, adquirir flexibilidade e integrar-se, entre outros. “

Então fica a dica, sujar-se faz bem, é gostoso e saudável e depois do banho, a sensação das mamães de”tarefa cumprida” vai ser muito maior, eu garanto!!Vai, deixa de neura, põe uma roupa bem confortável (velhas de preferência) nos pimpolhos e em você e experimenta.Depois, vai todo mundo, junto pro chuveiro e a farra é ainda maior!!!

Beijos,

Cristina João (uma modesta colaboradora, palpiteira)

novembro 23, 2009

Mamae Esquila


A imaginacao realmente e' uma coisa fantastica. Ja' tem um tempinho que o Murilo esta aprendendo sobre os animais e seus filhotes. A mamae "AU AU" e seus filhotes, mamae elefante e o elefante filhote e outros, no's claro damos o maior incentivo. Outro dia ele acordou e disse: "Mamae esquilaaaa...", achei que nao tinha entendido direito e entao, como? "Voce e' a mamae esquila e eu sou o esquilo filhote". Ah ta...ainda bem que hoje eu sou a mamae esquila.

O engracado 'e que eles inventam cada uma. E' de babar nao? bom para os pais sim, cada coisa que parece bobagem para os outros, mas para quem esta dentro 'e muito gostoso e o mais (ainda que nao seja certo) e' ouvi-los falar errado. Sim, porque o Murilo nao fala esquilo (iquilo, quilo e por ai vai). Sempre repetimos corretamente, uma hora ele aprende, mas enquanto isso, vou me divertindo...rs

Ele esta sempre inventando um personagem para cada um de no's brincarmos. Desde que ele viu o filme do Carros (nem sei quanto tempo faz isso) ele AMA os personagens do filme e deve ve-lo umas duas vezes por dia (sem falhar). Ah sim, filmes e' mais uma das paixoes dele, o que eu acho barbaro, ja que tambem gostamos, o cara quer ver todos, mas acaba sempre querendo brincar de mcqueen, rei e todos os outros carrinhos do filme, quem estiver junto ele arruma um personagem, pode deixar! E' obvio que brincamos e nos divertimos muito. Ainda vou falar muito sobre isso aqui, voce vai ver.

Acho que o mais importante nessas horas e' tentar deixar que a imaginacao tome conta de nos. Uma das coisas mais divertidas e gostosas e' ver a evolucao de seu filho que ja vai ao banheiro sozinho ou pede, segura um copo ou garrafinha sozinho, eles querem mostrar que ja' sao "mocos" e isso tambem traz um pouco de nostalgia, afinal de contas seu filho esta crescendo e daqui a pouco nao vai mais querer brincar de "ser" um personagem. Que aproveitemos o maximo possivel e possamos dar asas a criatividade deles.

Acho que ele ainda nao sabe, mas eu sou mesmo e' a mamae LEOA, rs.

Um beijo de mae pra voce. 

texto Andrea
Foto: zueraimagens.blogspot.com/2009/03/mamae-esquilo-leva-filhinha-escola.html

novembro 20, 2009

"Menino e' azul, rosa e' de menina!"


RS...esta foi a frase de meu filho outro dia...Achei muito engracado, tao pequeno e ja tem esse preconceito. O mais estranho e' que nao lembro de ter falado isso a ele (e eu adoro menina de azul e menino de rosa, logico que com bom senso) bem, as criancas lembram de tudo e aprendem coisas que a gente nem imagina. O Murilo tem uma prima e tudo que ele ve de cor de rosa ele quer dar para ela (detalhe, ela adooora a cor azul).

A verdade e' que temos um pouco (se nao toda) a culpa, pois e' la' no comecinho quando eles nascem (e ate antes) que ja comecamos com roupinhas rosinhas para as meninas, carrinhos azuis para os meninos, enfim uma avalanche de coisas pre determinadas, lembrancinhas, enxovais etc. Fazer o que?

Para as vestimentas eu adoro cores claras (como branco e em tons pasteis), caqui, jeans, mas tambem gosto de um vermelho, azul marinho, verde, estampas algumas, nao gosto muito de vestir meu filho com cores muito vibrantes, mas nao tenho nada contra, afinal de contas eles sao lindos de qualquer jeito, rs. Agora, e eles? ah eles adoram mesmo sao as "camisetas" dos desenhos e filmes que mais gostam, daquele personagem mais amado, pena que geralmente estas estampas sao de um plastico horrivel, que estraga na primeira lavagem. Como em tudo, mais uma vez, acho que o bom senso deve prevalecer e com um pouquinho do gosto de seu filho e um pouquinho do seu, eles fiquem confortaveis e felizes para "brincar".

Por ultimo e nao sem importancia, devemos dar atencao a reciclagem de roupas. Eu adooro e amo um brecho', cortar uma calca para virar bermuda (minha comadre Jana tambem e adoramos trocar roupas dos pequenos), ja cortei camiseta de manga comprida pra virar de manga curta (de tanto que eu gostava da camiseta). Se voce ainda nao sabe, tem ate famosa que faz isso!!! Ha quem ache tudo isso uma besteira, mas como gosto muito de moda, quando possivel gosto de ficar procurando novidades tambem para os pequenos (prometo colocar algumas destas curiosidades em breve). A palavra nao seria reciclar e sim customizar, gostou? kkk

Meninas de azul ou meninos de rosa, o que importa e' que nossos pequenos sejam felizes e confortaveis, fashionistas ou nao, cada um tem seu estilo e devemos respeita-lo, certo? E que eles possam algum dia escolher as cores que preferirem.

Um beijao e bom feriadao (a comadre esta viajando, mas volta logo) 

Texto de Andrea

Foto: http://bluebirdnotes.blogspot.com/2009/11/how-to-drive-your-kids-crazy.html

novembro 19, 2009

“O QUE É QUE TEM NA SOPA DO NENÉM…” (trecho da musica "Sopa" do grupo Palavra Cantada)

Papo sério agora...rs até parece, estamos aqui para descontrair, mas sempre é bom falar um pouquinho de coisinhas mais sérias.



Começo hoje falando da alimentação dos nossos pequeninos, o quanto temos que ficar atentas não só para a quantidade, mas muito mais para a qualidade.



Uma vez ouvi dizer que o estomago da criança é do tamanho da mao dela fechada (Imagina quanta comida eu já entulhei na criança). Eu sempre fui muito difícil para comer (quando pequena, né!) e minha mãe sofria horrores achando que os médicos deveriam dar vitaminas e etc) porque eu era “tão magrinha”. Meu marido diz que sua mãe também sofreu o mesmo drama (tambem quando era pequeno, certo?!). Pois bem, como não poderia ser diferente, quando meu filho começou a comer dava muito trabalho e por mais que tooooodos falassem que era assim mesmo, eu (a MAE) não queria acreditar e sofria muito com o que ele comia, ou melhor com o que ele NÃO comia..... bem, resumindo a historinha foi no dia em que fiquei muito ruim por conta de uma virose que literalmente “nem liguei” se ele iria comer ou não, fiz uma mamadeira e falei: quer quer, não quer paciência (não foi bem assim ne') mas a moral é que todos inclusive a pediatra claro e o meu marido, estavam certos e pior (quem e' mãe sabe) a sensação de quando eles comem tudo, parece que é de missão cumprida! (mãe, eu te entendo agora, porque ate hoje você me vê e pergunta se eu não quero comer só uma frutinha, rs). Minha cumadi Jana que o diga, não que ela sofra com o pequenino, o João come tuuuudo, mas o Pedro está igual a mim, o meu marido, ela mesma parece que não era nada fácil pra comer, é querida fazer o que, nossa vez de sofrer...


É! pois é, mais uma das tarefas nada fáceis de ser mãe, por mais que a gente tente não consegue se desligar... A “dica” é que se preocupem com o que eles comem e que comam junto com eles, lógico que adoro muitas besteiras, mas vamos tentar ensiná-los a comer melhor e a aprender evitar muitas coisas desnecessárias. A "papinha do potinho" me ajuda muito, mas só em caso de muita necessidade, vamos tentar fazer a comida de nossos filhos (ou pedir ajuda aos "universitários"...), dar mais sucos naturais, é possível sim! A criança come aquilo que damos e comemos, isto é fato!


Beijos e até mais (preciso fazer a sopinha do Murilo, rs) 

 



Texto de Andrea

Foto:http://2.bp.blogspot.com/_DhWSp32BEYA/Rk0UK-cnoDI/AAAAAAAAAu0/7m3ckrQ7ZJI/s400/comida_de_crianca.jpg

novembro 18, 2009

E a pipoca?

Época de chuvas!
Fazer o que com essa gurizada?
Principalmente nas férias! Quando viajamos e aí sim, não temos o que fazer na chuva!
Uma idéia que a-do-ro e lembra minha infância é pipoca com bonecos de Sol.
Minha mãe e uma amiga que tem dois filhos, pegavam papéis de revistas velhas ou jornal, tesoura, cola, canetinhas e pipoca.
Dobrávamos como sanfona o papel da largura que queríamos os bonecos. Aí cada um desenhava o seu (eu e meu TOC precoce queria perfeito, então pedia pra minha mãe desenhar), recortavámos sua volta, sem recortar as mãos (que era o que mantinha eles grudados). Abríamos e aí cada um pintava o seu! Eu, representava minha família ou minhas amiguinhas da escola. Um dos filhos da Elen fazia um time de futebol.
E assim ficávamos hooooras cortando e unindo aquelas tiras de bonecos. Quando ninguém aguentava mais, pendurávamos nas janelas, acreditando que eles chamavam o Sol.


A pipoca?
Aaaaah... Minha mãe estourava no final pra gente comer e esperar o astro Rei aparecer... rs


Ai que saudade!


Um beijo e até!


novembro 17, 2009

É festa!


Não demora muito e logo você se vê brincando “de novo” como uma criança...

Ficou grávida? É Festa! Chá de bebê? Festa! Descobriu que é menina (o), festa! NASCEU! Festa!
E daí pra frente tuuuudo é festa, os primeiros aninhos (há quem comemore todos os meses até o primeiro ano) Festa! Festa! Festa!
Mas, sejamos sinceros, aquele cheirinho de festa, aquelas gostosuras todas reunidas de uma vez só (e pode comer tudo que quiser), pessoas te parabenizando, abraços mais apertados e o melhor de tudo: os tão esperados presentes, muito bom...
Dia este em que a imaginação é a dona da vez. Pois bem, pense a vida da criança é uma festa (ou pelo menos deveria ser) até que vamos crescendo, as responsabilidades tomando conta daquela que era quase obrigatória, a diversão. Não deixe de dar mais abraços calorosos em seu filho (a), dizer a ele (do nada) que o ama, de fazer coisas inusitadas, musica no meio da sala, vamos dançar... curta cada momento, parece chavão mas é pura verdade: eles crescem muito rápido.


De e para qualquer coisa podemos fazer uma festa com uma criança e chega também o dia que queremos comemorar com a família, amigos, colegas... Mas atenção papais (e digo por experiência própria): o dia é para seu filho, tente respeitar os horários, as diferenças, as preferências. O ideal é que, do melhor Buffet ao bolo feito pela mamãe/vovó, tudo tenha um planejamento com muito carinho, que a criança perceba isto e que também participe das escolhas (cada um sabe seus limites, certo?).


Essa atenção dispensada é recompensada no rostinho deles durante toda festa e na hora dos Parabéns. Deixe a festa com o jeitinho deles e com um toque de originalidade seu.


Quero falar muito ainda sobre este tema, pois adoro dar opiniões e idéias.


Algumas pequeninas dicas de sites que adoro, só pra começar: na revista Pais & Filhos do mês de novembro tem várias reportagens, idéias de decoração, temas, só para você se inspirar, coisas incríveis que fazem bem aos olhos e ao coração. Quem não gostaria de ser a Alice na sua festa, ou mesmo a sereia, tem festa no clima do Natal e até mesmo uma muito original de um nada convencional roqueiro brasileiro, que fez a festinha do filho toda em clima de rock’n’roll (com cover do Kiss e tudo mais).


Ah! Não poderia deixar de citar o trabalho de uma querida. A Caca veio fotografar uma das festinhas do Murilo por loucura minha, que vi o site e me apaixonei pelo trabalho dela. Sabe estas pessoas destinadas a fazer as coisas com o coração? Ficou curiosa? Da uma olhadinha no site  e me diz se não é verdade, vale a pena o investimento!


Um beijo


Texto de Andréa

novembro 16, 2009

A hora do "parto"

"Positivo" 'e o resultado onde tudo começa: Em algumas vezes muito esperado e em outras nem tanto assim. No meu caso foi uma resposta muito querida de um exame tão esperado e assim comecei a maratona da mãe de primeira viagem, sites, revistas, lojas, livros (como uma boa curiosa) queria saber tudo e aprender nos nove meses que viriam pela frente, a "arte de ser mãe". Ansiedade deveria ser a palavra que defini o "estado" em que ficamos quando estamos grávidas (isto não faz bem ao bebe, e’ o que dizem), queremos saber a saúde, o sexo, a cor dos olhos, dos cabelos, com quem vai parecer... outras infinitas expectativas em relação ao Ser que parece inacreditável, que existe dentro de você, crescendo dia a dia. No dia em que o Murilo nasceu eu estava indo apenas ao hospital fazer um ultra-som de rotina e de preparação para a expectativa final. Super a favor do parto “normal” achava que me desesperaria no dia e na hora em que as contrações começassem, a bolsa estourasse, para quem eu iria ligar, coisas mil que ficamos esperando acontecer. Pois bem, neste dia do ultra-som, achava que sairia da consulta e iria passear no shopping (afinal de contas sempre falta algo), mas foi ali de maca em maca que fui para a sala de preparo fazer uma cesárea (estava perdendo e já tinha perdido muito liquido) OK! Afinal de contas você não sabe ao certo o que esta acontecendo. Medica avisada e a caminho, La estava eu numa sala com mais umas cinco futuras mamães, desespero começando a bater, cada um fica falando uma coisa e eu sem saber e ainda não acreditando que seria a hora. Resumindo, foi tudo muito rápido e tranqüilo. Nem preciso dizer que ver e encostar aquele corpinho quentinho no seu rosto e’ a sensação mais maravilhosa do mundo. Lagrimas a parte, como já ouvi em algum lugar: a vida de uma mãe se divide em duas: Antes do parto e Depois do parto. Mas este “Depois” e’ outra história...



A história desses dois começa aos 24 anos, recebi o resultado positivo numa noite abafada de verão.
Foram nove meses tranquilos, apesar da situação, da gravidez não PLANEJADA (esse deveria ser o termo certo), passei esse tempo como se nada tivesse acontecido. Um pouco de pressão baixa, sono e fome inesperados. Só. Veio a notícia, durante a última consulta de ultrassom, que o doutor iria viajar. Aquela notícia fez com que eu decidisse a induzir o parto normal, dois dias após aquela consulta.
Por motivos burocráticos, fiz uma cesariana de uma gestação na 37ª semana.Resultado, faltando 3 semanas o Pedro nasceu com 3kg, 47cm. Uma semana de UTI e assunto resolvido.
O cara tá aqui do meu lado lendo tudo o que escrevo!
Dois anos se passaram e então encontrei seu verdadeiro pai, aquele que ama, que educa, que deseduca com amor. Resolvemos nos casar, compramos um apartamento pronto para quatro pessoas morarem.
Quatro??
Pera aí? Eu, o Alê, o Pedrinho e o quarto?
Aaaaah! Vai que a gente resolve ter mais um lá na frente. E o lá na frente chegou. No meio da obra. Deixar o partamento NOVO a nossa cara.
Pois é. Depois de muito enjôo e tontura, acreditando mesmo estar com pedra na vesícula, o resultado de um Beta HCG comprovou que o quarto vago teria dono muito em breve. E aí começaram 9 meses de mal estar, de anemia, dores aqui e acolá.
E o tamanho do bebê e zero de dilatação na 40ª semana impediram que eu tentasse o normal! Foi aí que nasceu com 3,650kg e 50cm nasceu o mais rosado dos bebês, o João.


A continuação disso tudo vamos juntos desfrutar, aqui no blog.
....Com estas e outras experiências resolvemos montar este espaço e dividir com outras pessoas momentos, dicas, curiosidades da vida de nossos filhos e do mundo das crianças que nos ensinam dia a dia o verdadeiro caminho a seguir.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tem mais disso

Related Posts with Thumbnails